Um poder no pântano

Autor: Nani

A dita Casa do Povo vive tempos de desagregação.

Hoje (9/12), o caso Cunha no Conselho de Ética teve dois relatores destituídos pelo vice-presidente da Câmara (que, aliás, é investigado na Lava Jato e nunca apareceu no Conselho, sequer para tomar pé da situação sobre a qual teria que decidir. ‘Tudo que seu mestre mandar… faremos todos, faremos todos’).

Fausto Pinato foi derrubado absurda e autoritariamente. Seu substituto, José Geraldo, tão logo anunciou que subscreveria o relatório do antecessor, pela admissibilidade da Representação do PSOL e Rede contra o ainda presidente da CD, foi destituído. Durou poucos minutos na função. Intervencionismo descarado!

Depois, houve o sorteio da lista tríplice para a escolha do novo relator. O acossado presidente, José Carlos Araújo, decidiu pelo dep. Marcos Rogério (PDT/RO). O advogado de Cunha pedirá novos prazos para a defesa. Tudo voltará à estaca zero!

É incrível como as funções da presidência da Câmara são usadas na defesa pessoal do acusado, contaminando tudo o que se faz por aqui. Ásperos tempos.

Valei-nos, PGR e STF! Fora daí – e da indignação popular – não há saída. Que cada um (inclusive você, cidadã/o) faça a sua parte!

* * *
Comente o texto aqui