Testamento

dom pedroEnterrem-me no rio,
Perto de uma garça branca.
O resto já será meu.
E aquela correnteza franca

Que eu, passando, pedia,
Será pátria recuperada.
O êxito do fracasso.
A graça da chegada.

A sombra-em-cruz da vida
Sob este sol de verdade
Tem a exata medida

Da paz de um homem morto…
E o tempo é eternidade
E toda a rota é porto!