Sepe: políticas penalizam magistério

A partir da década de 90, as políticas educacionais brasileiras tiveram algumas características que dividem opiniões. Como marcas das diretrizes deste período, pode-se destacar o foco nas avaliações, a expansão do ensino superior privado, a política de universalização do ensino fundamental, a redução dos investimentos em universidades públicas, entre outras. Medidas que tiveram repercussão também no trabalho do professor. Impacto que é considerado negativo por especialistas da área de educação. Em vários momentos do Congresso Sepe de Educação, ficou clara a posição de que as diretrizes acentuaram o processo de desvalorização do magistério não só do ponto de vista salarial, mas de sua autonomia no cotidiano escolar. Nota sobre o assunto saiu na Folha Dirigida em 11/4/2006.

Revista diária fundada em 13 de maio de 2000.

Seções: Opinião.