Recompondo a unidade da vida

tciAcabo de voltar de uma formação em Terapia Comunitária Integrativa em Cuiabá, Mato Grosso, organizada pela UFMT. Nas proximidades do rio Coxipó do Ouro. Vêm as lembranças dos rostos de cada uma das pessoas participantes. As jornadas em busca da criança interior.

O resgate da pérola. O reviver de um momento da minha vida que me trouxe muita paz. Lembrei, uma tarde, de mim mesmo, nos anos de 1972 e 1973, em uma reunião em Mendoza, com pessoas das cooperativas de trabalhadores. Buscávamos conhecer as necessidades dos produtores rurais.

Então era estudante de sociologia na Universidad Nacional de Cuyo. Tratávamos de construir uma sociologia que estivesse voltada para os interesses dos trabalhadores e do povo. Em uma vivência, vi que a esperança e a luz dessas jornadas, era o lado esquerdo de um tronco que sustentava a árvore da vida.

O lado escuro, o lado direito, era a escuridão que seguiu a estes intentos. A ditadura de Videla. Luz e sombra, unidas. Dor e esperança. Força e negatividade. Tudo unido. Senti uma paz muito grande. Agora voltam os rostos, os sentimentos, das participantes e dos participantes desta formação em Terapia Comunitária em Cuiabá, Mato Grosso.

A chuva, os trovões. Os cantos dos pássaros. Os cantos, as danças. Os abraços. A amizade. As histórias de vida de uns e outras completando a minha própria história. Recompondo a unidade da minha vida.