Professores do Rio Grande do Sul entram em greve contra parcelamento de salários

Paralisação começou nesta segunda-feira (1º) de forma espontânea, após os professores receberem parcela de R$ 650

Professores estaduais do Rio Grande do Sul entraram em greve oficialmente nesta terça-feira (1º), após assembleia realizada na Praça da Matriz, no centro de Porto Alegre. Eles protestam contra o parcelamento dos salários, que já foi considerado ilegal pelo Tribunal de Justiça (TJ-RS), e também por melhores condições de trabalho.

A paralisação começou, informalmente, já na segunda-feira (31), quando os professores receberam parcela de R$ 650,00 referentes ao mês de julho. “Foi um deboche, um tapa na cara. Mobilizou inclusive até aquele colega que não queria mais fazer greve, que estava desacreditado da luta, mas ele não aceita mais essa falta de respeito do governador Sartori”, afirmou o professor Daniel Damiani, em entrevista ao repórter Guilherme Oliveira, para o Seu Jornal, da TVT.

Os atrasos e parcelamentos ocorrem há pelos menos 18 meses, e o governo de José Ivo Sartori (PMDB) coloca a culpa na crise fiscal, além da necessidade de pagar dívidas com a União. Diante da pressão dos trabalhadores, o governo anunciou, ainda na segunda-feira (31), que atrasaria o pagamento de dívida de R$ 142,2 milhões, que venceria no mesmo dia, para pagar parte dos salários dos servidores, que ainda têm parcelas do 13º salário do ano passado a receber.

Segundo a presidenta do do Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (CPERS), Helenir Schurer, inúmeros professores não conseguiram nem sequer sacar a parcela, pois o dinheiro havia sido comprometido anteriormente em empréstimos bancários. “Não é só a questão de dinheiro, é o ataque, a tortura psicológica que nós estamos sofrendo há três anos. Ou a gente se levanta, ou ele nos vence. Nós resolvemos lutar”, disse a sindicalista.

Fonte: Rede Brasil Atual
http://www.redebrasilatual.com.br/educacao/2017/08/professores-estaduais-do-rs-entram-em-greve-contra-parcelamento-de-salarios