Por que mataram Jesus, Gandhi e John Lennon?

Uma sociedade que está baseada na acumulação do dinheiro, pouco preça a vida. As vidas são meios. Meios para o capital.

É uma sociedade que corre, sempre têm pressa, embora não saiba para onde vai. Ou pior, claramente vai na direção da morte. Pode haver algo mais insensato, imbecil e estúpido?

A sociedade em que vivemos usa e descarta. Descarta jovens e velhos. Descarta mulheres e mendigos. Descarta o meio ambiente e os indígenas.

Mas isto é, novamente, uma grande imbecilidade e idiotice. É a sociedade da violência, da tortura, do assassinato, da opressão, da mentira, da enganação. Uso e descarte.

Por que mataram Jesus, Gandhi e John Lennon? Homens sensíveis, homens amorosos, incomodam. São um mal exemplo. Homem deve gritar e socar. Homem deve matar e estuprar.

Esse é o credo machista. Abusar, xingar, destruir, atropelar. Mas nós não temos que concordar com esta aberração. Viver para matar. Viver para morrer. Isso é um absurdo.

Vida é para ser vivida, não importa se é uma vida negra ou branca ou morena ou amarela. A pandemia pôs a nu o que era sabido desde sempre. Vivemos num mundo doente.

Tomara que o confinamento e o isolamento, e que a insensibilidade de governantes claramente comprometidos com um projeto de genocídio e destruição, possam nos acordar para a vida.

Vida é uma só, e passa ligeiro. A pergunta que intitula estas reflexões é para nos acordar para o valor incalculável do instante, do momento, da vida que se vai antes de que tenhamos sido capazes de vivê-la.

Voltemos nosso olhar para esses homens sensíveis e amorosos que nos traçaram um rumo e apontaram para uma direção precisa. O amor e a justiça. A paz e a arte. A oração e o serviço ao próximo. O crescimento comunitário.