Perguntas sem resposta

“Sou humano e nada do que é humano me é indiferente” Terêncio.

Como pode um legislador elogiar publicamente um torturador por rede nacional de TV e ficar impune? Este fato ocorreu em 2016, durante a votação do golpe parlamentar contra a Presidenta Dilma Rousseff

Como é possível que esse mesmo legislador se torne presidente do maior país da América do Sul, o Brasil, como resultado de um processo eleitoral evidentemente fraudulento? A disseminação de notícias falsas contra o candidato Fernando Haddad nunca foi punida.

Aonde conduz a impunidade? Quando condutas ilegais, que ferem sentimentos enraizados na população, ficam impunes, se desfazem os contornos do que seja considerado crime. Isto é o começo da extinção da existência social civilizada.

A vida têm valor em si, ou é apenas um meio (meio de produção, meio de enriquecimento, bem de uso) que é descartado quando já não serve mais?  

Fazemos estas perguntas por considerar que a desatenção e a indiferença diante de fatos que aparentemente não nos dizem respeito, acabam tendo consequências desastrosas para o conjunto da população.

Diante de uma pandemia em que morrem pessoas de maneira assustadora, esse mesmo “presidente” que fez apologia da tortura e da posse e uso de armas, exibe uma conduta totalmente contrária à que cabe esperar da autoridade máxima do país.

O que podemos esperar?

A vida têm algum valor?

Para que vivemos? Seguem as perguntas…