Pastoral Carcerária da CNBB repudia violência policial

canaAo todo, 2.212 pessoas foram assassinadas pela polícia no Brasil no ano passado.

A grande maioria era jovem, pobre e negra, como o é a grande maioria da população encarcerada, adulta e juvenil.

Em cinco anos, a polícia brasileira matou mais do que a polícia estadunidense em trinta.

[Bom lembrar que a polícia estadunidense é altamente violenta e racista, de modo que mesmo o pior dos exemplos ainda contrasta ‘positivamente’ quando comparado à polícia brasileira]

Essa mesma polícia que promove o genocídio é a que prende massiva, seletiva e abusivamente.

A tragédia se aprofunda na medida em que esses dados são naturalizados e em que nenhuma medida concreta é adotada para revogar esse Estado de Exceção permanente contra os mais pobres.

Não há mais espaço para tolerar tal cenário: basta!

Reforçamos a agenda conjunta dos movimentos sociais por uma política imediata de desencarceramento e de desmilitarização do Estado:http://carceraria.org.br/wp-content/uploads/2014/08/agendaContraEncarceramento.pdf

Revista diária fundada em 13 de maio de 2000.

Seções: Cidadania.