Paraguai: arquivo 2003

Paraguai: juiz determina prisão de Stroessner

17/10/2003. O juiz paraguaio Arnaldo Fleitas expediu uma ordem internacional de prisão contra o ex-presidente militar do Paraguai, Alfredo Stroesser, que vive exilado no Brasil. Stroessner deixou o seu país em 1989, quando foi destituído do poder, sob acusações de violações dos direitos humanos. bbc aqui

Paraguai: Lula chega prometendo ajuda

15/8/2003. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou nesta quinta-feira à noite a Assunção, no Paraguai, reafirmando sua promessa de ajudar financeiramente o país. Lula participa nesta sexta-feira da cerimônia de posse do novo presidente paraguaio, Nicanor Duarte Frutos.

“Como a maior economia da América do Sul, temos o compromisso de ajudar no desenvolvimento dos países com menor dimensão de Produto Interno Bruto, de menor dimensão territorial e de menor dimensão populacional”, afirmou o presidente, numa rápida declaração, logo que desembarcou no aeroporto de Assunção. Lula também falou sobre os “brasiguaios”, brasileiros e descendentes que vivem no Paraguai e se sentem discriminados no país. “Temos uma nação de brasileiros que mora no Paraguai e precisamos encontrar uma solução tranquila para esta gente”, afirmou. bbc brasil, aqui

Paraguai: Duarte Frutos quer ‘mudar história’ do país

15/8/2003. Nicanor Duarte Frutos assumiu nesta sexta-feira a presidência do Paraguai e, para muitos, seu mandato será cheio de desafios, especialmente os relacionados à luta contra a corrupção e à falta de credibilidade do Executivo. Duarte Frutos concedeu esta entrevista exclusiva a Andrea Machaín, correspondente da BBC no país. Leia aqui

Paraguai: posse presidencial

14/8/2003. Os presidentes de Cuba, Fidel Castro e da Venezuela, Hugo Chávez, chegaram ao Paraguai na primeira hora desta quinta-feira para a posse de Nicanor Duarte como presidente do Paraguai. O primeiro a chegar foi o presidente cubano, cujo o avião tocou o solo paraguaio às 5h30 locais (mesmo horário em Brasília), constatou um jornalista da AFP no aeroporto Silvio Petttirossi em Assunção.

Rodeado por um forte aparato de segurança e vestido com sua tradicional farda verde oliva, Fidel Castro deixou o terminal aéreo sem dar declarações, ao contrário do presidente venezuelano Hugo Chávez, que chegou 20 minutos depois de Fidel. Segundo informações da televisão paraguaia, o presidente venezuelano pediu um acordo entre os presidentes sul-americanos para que peçam moratória e não paguem a dívida externa.

Castro e Chávez, assim como outros oito presidentes e cerca de 95 delegações estrangeiras assistirão nesta sexta-feira a posse de Nicanor Duarte, que será o 46º presidente do Paraguai. (jb online)

Paraguai: ministro fora

1/8/2003. O ministro da Justiça e Trabalho do Paraguai, José Burró, que afirmou que brasileiros e argentinos são um “bando de sem-vergonhas”, renunciou ontem, segundo anúncio do presidente Luis González Macchi. Em entrevista à imprensa, Burró deixou o cargo e com isso termina o caso que causou descontentamento aos governos da Argentina e do Brasil.

Segundo Macchi, a chefe de Gabinete Civil do Palácio do Governo, Stella Samaniego, ficará encarregada pelo despacho do ministério até 15 de agosto, quando o governo do presidente eleito, Nicanor Duarte, tomará posse. Burró irritou-se terça-feira com os países vizinhos depois que o embaixador brasileiro em Assunção, Augusto de Castro Neves, disse que o Brasil está disposto a investir no Paraguai se houver condições de segurança jurídica e aprofundar-se a institucionalização do país.

Em declarações à imprensa na capital paraguaia, Burró ironizou a declaração e disse que ele “também quer encontrar um brasileiro honesto”. “Nós, sim, temos de falar de nós e admitir nossos erros, mas não vou permitir que nenhum curepí (nome depreciativo com que são chamados em guarani os argentinos) e nenhum bandeirante (referência aos brasileiros) venha me ensinar moral, bando de sem-vergonhas”, afirmou Burró, acrescentando que o que os brasileiros têm de fazer é “meter-se com suas brasileiras”. (Tribuna da Imprensa)