Arnaldo Jabices, Ceguinhos e cia., por Renato Kress
Hoje, dia 20 de maio, assisti ao Manhattan Connection com a nata intelectualóide brasileira. Foi divertido. Adorei eles terem destacado seu primeiro bloco a desancar críticas sobre Noam Chomsky, o maior crítico político da atualidade, a meu ver. Arnaldo Jabor, conhecido reacionário príncipe dos intelectualóides academicistas afrancesados, era um no meio dos outros três dos quais pouco sei e, pelo que vi no programa, pouco perco em não conhecer.

 
Bem, voltemos e encerremos o assunto Chomsky. Reduziram o único intelectual presente na fantástica coleção "Os Pensadores" que ainda está vivo, o maior neurolingüista do mundo e uma sumidade mundial em lingüística e crítica política, a um "simplista" nas palavras do "grande cabeça" Jabor, ou que dá, nas palavras de um Caio Blinder, que pelo nome deve ser cego mesmo, "respostas simples a perguntas complexas" e por isso "agradaria a um público que está querendo respostas simples" e de preferência bem radicais, uma espécie de "PT transcendental" novamente na cabeça iluminada do "Mestre Jedi" Jabor. Justiça seja feita, Lúcia Mendes foi a única a lembrar que Chomsky era um "ótimo lingüista", nisso ela quase, quase, se salvou, mas logo depois veio dizer que Chomsky chama o sistema americano de Fascista e trabalha numa universidade americana, na visão cartesiana da intelectualidade reacionária brasileira ele seria no mínimo hipócrita, certo? Atentemos para o fato de que Chomsky dá aulas nos Estados Unidos por pressão única e exclusiva dos seus alunos e que ele é odiado tanto pelo governo quanto pela mídia americana. Outra coisa: depois de tantas críticas só me resta realmente ver que essas quatro pessoas sequer deram-se ao trabalho de ler qualquer coisa do Chomsky, inclusive com comentários imbecis como por exemplo dizendo que ele se julga capaz de falar da política do mundo todo deitado na sua cama financiada pelo governo dos Estados Unidos, para que eles aumentem a capacidade cerebral deles. Aí vai uma dica e de graça: Chomsky passa a vida dando palestras pelo mundo porque é e sempre será uma sumidade em política internacional e em política norte-americana. Se esses quatro não conseguem chegar à sombra de um intelectual de verdade ao menos saibam respeitar um. Bem, convido aos conscientes.net a lerem qualquer coluna de Noam Chomsky dentre as presentes no site e terem suas próprias conclusões sobre o autor.

Pra não dizer que discordo de tudo: quando o Jabor coça o Nariz e cala a boca eu concordo. Fica difícil dar crédito a uma cara que não sabe a diferença entre um partido com "duas alas" e um candidato com "duas caras". Sim, é óbvio que isso só poderia ser dito em relação ao PT, será que um dia ele falaria assim do PMDB, o maior e mais controverso partido do Brasil?

De qualquer maneira é sempre prazeroso ver essas coisinhas reacionárias, falsos moralistas e direitistas, essas estruturinhas decrépitas, corroendo por dentro. Olhem que delícia o que eu peguei no meio da conversa entre essas quatro cabeças tão especiais: O Jabor discordou de uma opinião da Lúcia (sente a minha intimidade com eles), dizendo que muito lhe admirava uma mulher tão culta pensar diferente dele, afinal todos aqui sabemos que ele é o único sensato do mundo, aquele para o qual se você discorda é simplesmente porque a sua cabeça limitada não entendeu o que a cabeça iluminada dele está falando, e ela lhe respondeu simples e diplomaticamente: "estou precisando ler mais você, Jabor". Ironia, o que diferencia um cristal de um diamante, inteligência superior, princesinha do caos, sutil, bombástica. Adorei. De lamber os dedos (e os beiços).

Renato Kress, o sumido.


Consciência.Net