Obama prova que não basta ser ‘minoria’! É preciso ser responsável pelos próprios estados mentais

Por Evandro Vieira Ouriques

Quando sabemos que as posições assumidas pelo governo norte-americano em relação a Edward Snowden e à Síria mudam a política exterior de Obama para pior, evidenciando em tempo real o seu fracasso, fica a lição definitiva para os que ainda não a aprenderam, pois quando ele foi eleito foi uma ovação geral no mundo, porque ele é “negro”.

Que fique claro: não basta ser ‘negro’, não basta ser ‘indígena’ (no momento está aqui em casa o grande Thiniá, o xamã Fulni-ô, meu amigo-irmão, que concorda com essa afirmação), não basta ser ‘branco’, não basta ser ‘homossexual’, não basta ser ‘idoso’, não basta ser ‘criança’, não basta ser ‘favelado’, não basta ser ‘pobre’, não basta ser ‘comum’, não basta ser ‘artista’, não basta ser ‘ativista’, não basta ser ‘militante’, não basta ser de ‘esquerda’, não basta ser ‘verde’, não basta ser ‘vegetariano’, não basta ser ‘espiritualista’, não basta ser ‘cooperativo’, não basta ‘ser do partido’, etc., etc., etc. …

É necessário que o sujeito seja responsável pelos próprios estados mentais e assim faça a gestão psicopolítica de seu território mental para não ser capturado pelos mesmos valores que diz querer superar no plano tradicionalmente compreendido com ‘social’, como ‘político’.

Com amor, e a alegria da gratidão, e.

http://www.counterpunch.org/2013/07/02/the-obama-failure-in-real-time/