México: Conluios frequentes entre autoridades e o crime organizado

O governo mexicano deve enfrentar o conluio entre autoridades e o crime organizado e tomar medidas para acabar com a impunidade, segundo a Anistia Internacional, assim como a impunidade de diversos indivíduos, como o ex-prefeito de Iguala, José Luis Albarca, acusado de ter conexões com o sequestro e o desaparecimento forçado de 43 estudantes em setembro do ano passado.

Erika Guevara, Diretora da Anistia Internacional para as Américas, e Perseo Quiroz, Diretor Executivo da Anistia Internacional do México irão viajar para Ayotzinapa na semana do dia 19 de janeiro para conversar com alguns parentes dos 43 estudantes desaparecidos e com organizações de Direitos Humanos.

Segundo Erika Guevara, “O desaparecimento forçado de 43 estudantes de Ayotzinapa foi uma enorme tragédia que poderia ter sido evitada. O histórico de corrupção e a ausência de justiça no México faz com que esses crimes desprezíveis aconteçam. Isso precisa ser mudado se as autoridades querem evitar sangue em suas mãos”.

“As autoridades mexicanas devem aumentar os esforços para descobrir o paradeiro dos estudantes e levar os responsáveis à justiça”.

Pontos a serem abordados:

Falta de investigações efetivas no desaparecimento dos 43 estudantes em Iguala.
Desaparecimentos forçados cometidos pela polícia e forças armadas.
Altos níveis de tortura e maus-tratos registrados no México
Histórico de Direitos Humanos no México.

Fonte: Anitia Internacional-Brasil
https://anistia.org.br/noticias/mexico-conluios-frequentes-entre-autoridades-e-o-crime-organizado/