Mensagem do Papa Francisco, por ocasião do “Angelus”, dia 01/02/2015

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

A passagem do Evangelho deste Domingo apresenta Jesus que, com sua pequena comunidade de discípulos, entra em Cafarnaum, cidade onde vivia Pedro e que naquele tempo, era a maior da Galiléia. Ele entra na cidade. O Evangelista Marcos relata que Jesus, sendo aquele dia um sábado, entrou logo na sinagoga e pôs-se a ensinar. Isto faz pensar no primado da Palavra de Deus. Palavra a ser escutada, para ser acolhida e para ser anunciada. Ao chegar a Cafarnaum, Jesus não retarda o anúncio do Evangelho, não pensa primeiro na sistematização logística, por certo necessária, de sua pequena comunidade, não se atrasa na organização. Sua preocupação principal é a de comunicar a Palavra de Deus com a força do Espírito Santo. E as pessoas na sinagoga ficam tocadas, porque Jesus lhes ensinava como alguém que tinha autoridade, e não como os escribas.

O que significa: “com autoridade”? Quer dizer que nas palavras humanas de Jesus se sentia toda a força da Palavra de Deus, sentia-se a própria autoridade de Deus, inspirador das Sagradas Escrituras. E uma das características da Palavra de Deus é que Ela realiza o que diz, porque a Palavra de Deus corresponde à Sua vontade. Nós, ao contrário, muitas vezes, pronunciamos vazias, sem raiz, palavras supérfluas, palavras que não correspondem à verdade. Ao contrário, a Palavra de Deus corresponde à verdade, vem unida à Sua vontade, e faz o que diz.

Com efeito, Jesus, após haver pregado, logo demonstra Sua autoridade libertando um homem presente na sinagoga, que estava possuído do demônio. A própria autoridade divina de Cristo havia suscitado a reação de Satanás, oculto naquele homem: Jesus, por sua vez, logo percebe a voz do maligno e ordena severamente: “Cala-te! Sai dele! Só com a força da Sua palavra, Jesus liberta a pessoa, do maligno. E mais uma vez, as pessoas presentes ficaram estupefatas: “Mas, de onde vem este homem?” “Ele ordena até os espíritos impuros e eles Lhe obedecem.” A Palavra de nós provoca espanto em nós. Tem aquela força. Provoca-nos espanto.

O Evangelho é palavra de vida: não oprime as pessoas. Ao contrário: liberta a quantos se achem escravos de muitos espíritos maus deste mundo: a vaidade, o apego ao dinheiro, o orgulho, a sensualidade… O Evangelho muda o coração. O Evangelho muda o coração. Muda a vida. Transforma as inclinações para o mal em propósitos de bem. O Evangelho é capaz de mudar as pessoas.

Portanto, é dever dos cristãos difundirem, por toda a parte, a força redentora, tornando-se missionários e arautos da Palavra de Deus. É o que também sugere a passagem do Evangelho de hoje, que se conclui com uma abertura missionária: “Sua fama – a fama de Jesus – logo se espalhou por toda a parte pelas cercanias da Galiléia.” A nova doutrina ensinada com autoridade por Jesus, é a que a Igreja leva ao mundo. Junto com os sinais eficazes da sua presença: o ensinamento com autoridade e a ação libertadora do Filho de Deus tornam-se as palavras de salvação e os gestos de amor da Igreja missionária.

Lembrem-se sempre de que o Evangelho tem força para mudar a vida. Não se esqueçam disso! É a Boa Nova que nos transforma, somente quando nos deixamos transformar por Ela. Eis por que lhes peço sempre que tenham um contato diário com o Evangelho, que o leiam todos os dias, uma passagem para meditar. E também que o levem com vocês por toda parte, no bolso, na bolsa. Isto é: alimentar-nos todos os dias dessa fonte inesgotável de salvação. Não esqueçam: leiam uma passagem do Evangelho, todos os dias! É a força que nos muda, que nos transforma. Muda a vida e o muda o coração.

Invoquemos a materna intercessão da Virgem Maria. Ela que acolheu a Palavra e A gerou para o mundo, para todos os homens. Que ela nos ensine a sermos escutadores assíduos e anunciadores com autoridade do Evangelho de Deus.

https://www.youtube.com/watch?v=3JifAmLWczg

(Do minuto 0:46 ao 8:04)

Trad.: Alder Júlio Ferreira Calado