Manifestantes ocupam Câmara de Vereadores de Belo Horizonte contra projeto sobre transportes

Em um protesto contra uma votação na área de transportes neste sábado (29), manifestantes ocuparam a Câmara de Vereadores de Belo Horizonte e convocaram as pessoas a se unir.

Um dos motivos da ocupação foi a aprovação, em segundo turno, durante uma reunião extraordinária também no sábado, do projeto que prevê a redução de 2% do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) no preço das passagens de ônibus. A medida vai resultar no corte de R$ 0,05 no custo final da tarifa de ônibus.

“É uma indecência, uma grande injustiça. Duas emendas de vereadores do PT foram rejeitadas. Elas previam uma redução de 0,20 a 0,25 centavos no preço da passagem de ônibus em Belo Horizonte e a publicação da planilha de custos e lucro das empresas no site da prefeitura”, disse o Frei Gilvander Luís Moreira.

“O mínimo do mínimo que o prefeito de BH deve fazer é cancelar o decreto que aumentou a tarifa dos ônibus em 0,15 centavos. Prefeitos de outras capitais voltaram atrás nos aumentos. Por que o prefeito de BH não volta atrás?”, acrescentou Frei Gilvander.

Segundo ele, o objetivo maior da luta popular, no quesito transportes, é conquistar o direito real de ir e vir, direito constitucional que implica necessariamente no acesso a meios de transporte públicos gratuitos.

“Temos que conquistar a estatização dos transportes públicos, cancelando as concessões e municipalizando os transportes coletivos. Após a votação covarde, centenas de manifestantes bloquearam todas as portas e saídas da Câmara de Vereadores para impedir a saída dos vereadores, que ficaram sitiados por certo tempo, mas parece que o desbloqueio já foi feito. Venha para a Câmara de BH fortalecer a luta”, completou Frei Gilvander.

Acompanhe pelo www.facebook.com/gilvander.luismoreira e siga a cobertura completa em www.facebook.com/midiaNINJA