Brasileira se candidata ao Parlamento de Israel pelo Likud

Uma brasileira se candidata ao Knesset (assembléia em hebraico, parlamento) de Israel pelo Partido Likud, nacionalistas liberais. Israel, como é sabido, dá direito de cidadania a todos os judeus nascidos ao redor do mundo, desde que decidam viver no “Estado judeu”. Os árabes palestinos que vivem na Palestina (hoje ocupada por Israel) há mais de 2 mil anos não têm o mesmo direito.

Há mais de 4 milhões de refugiados palestinos apenas no mundo árabe, onde vivem discriminados e até mesmo perseguidos, como no Iraque, que sofre ocupação militar dos EUA e com o regime sectário apoiado pelo Irã.

Israel foi fundado em 1948 com o apoio do Egito e da Jordânia (governados por ditaduras até os dias atuais), sem o qual não poderia ter expulsado mais 750 mil palestinos do país.

A brasileira, muito simpática, por sinal, se filiou ao partido Likud, promotor da invasão do Líbano de 1982, para impor um presidente libanês fascista no poder. O exército israelense comandado pelo Likud, apoiado por milícias libanesas, exterminou mais de 25 mil árabes no Líbano em apenas 70 dias, no verão de 1982.

Quem disse que genocidas são antipáticos?

Mestrando em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP) e Especialista em História das Relações Internacionais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Seções: Mundo. Tags: , .

Ridiculo este texto! Vale lembrar que o verdadeiro e grande inimigo dos Palestinos, são seus líderes fajutas e fabricados, assim como era o Egipcio Arafarsa, hoje os Palestinos são seres de segunda classe em todos os países árabes que fingem lutar por eles, apenas usanduos como bucha de canhão!

Eles se matam covardemente todos os dias, ai pode não é?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *