Boas novas para o SUS?

Eu adoraria estar otimista sobre todo esse apoio ao SUS, mas não vejo motivos.

Existe uma velha lógica, descrita minuciosamente por Noam Chosmky, acerca dos serviços públicos e privados: enquanto os lucros são privatizados, os custos são socializados.

É natural, portanto, que haja inclusive um certo apoio cínico ao SUS: é tempo de socializar custos.

Liberais igualmente cínicos estão surpresos com a cara-de-pau de muitos dos gestores dos hospitais privados, que se negaram a fazer testes e tratar dos pacientes.

O Chicago Boy, o Sr. Paulo Guedes, não perdeu tempo: liberou um pacote de bondades de até 10 bilhões de reais para a saúde privada. Nada a ver com saúde, só o bom e velho capitalismo de Estado, sempre enriquecendo o andar de cima.

Passada a crise, tudo voltará ao normal: será o tempo de privatizar novamente os lucros, assim que estes voltarem.

Não que eu queira ser pessimista. Mas não há sinais para o otimismo em relação ao SUS, infelizmente. Só a luta, e não as tragédias, podem mudar esse cenário.