BNDES busca novos sócios polêmicos

Da Plataforma BNDES

Nesta sexta-feira (02/09), o jornal Estado de São Paulo circulou a notícia de que o BNDES se prepara para ser sócio da empresa Foxconn no Brasil. A fabricante do iPad e do iPhone da Apple é conhecida pelas denúncias de violar leis trabalhistas na Ásia. Um dos casos mais graves foi a onda de suicídios de trabalhadores ao longo de 2010, quando 14 pessoas tiraram a própria vida.

Em maio deste ano, a agência de notícias EFE informou que mais dois trabalhadores da Foxconn haviam cometido suicídio em 2011. Assista ao vídeo abaixo A verdade sobre o Ipad da Aple (legenda em inglês) produzido por uma organização não governamental de estudantes e pesquisadores, com sede em Hong Kong. “Acordamos antes dos galos, vamos dormir depois dos cães, e nos alimentamos pior do que os porcos”, diz um dos trabalhadores entrevistado. De acordo com outro funcionários, é comum dizer na empresa que “mulheres trabalham como homens, homens como máquinas”.

Outra possível parceria do BNDES, de acordo com o jornal Valor Econômico, pode ser feita com as companhias do setor de petróleo e gás. O foco do banco seriam os fornecedores de materiais e equipamentos, podendo incluir também empresas de médio e pequeno porte. Vale lembrar, no entanto, os desafios ambientais e trabalhistas do setor. Esta semana o Greenpeace fez um protesto contra a exploração em Abrolhos (BA), mais importante banco de corais do Atlântico Sul. E, no último mês, a maior empresa brasileira do setor, a Petrobras, teve oito trabalhadores mortos em acidentes de trabalho, todos terceirizados. De acordo com centrais sindicais, a companhia precisa dar mais segurança aos seus trabalhadores.

BNDES busca novos sócios polêmicos

Veja as notícias:

BNDES poderá participar do capital de companhias do setor de petróleo e gás
O BNDES poderá ter participação acionária em empresas fornecedoras de materiais e equipamentos destinados à cadeia de petróleo e gás, inclusive em companhias de pequeno e médio porte. Essa participação se daria por meio do braço de investimentos do banco, o BNDESPar.

BNDES será sócio da Foxconn
Ainda não há prazo definido para o início do projeto da nova fábrica, e sua localização também é incerta. Nessa fase das negociações, o governo busca reunir dois tipos de sócios brasileiros para o investimento – estimado em US$ 8 bilhões, dos US$ 12 bilhões que a Foxconn teria prometido investir no Brasil.

Leia também:

Como o Pronaf do Lula encolheu até chegar ao patamar do FHC