Homilia do Papa Francisco, durante a Missa de abertura do Sínodo sobre a Família

Hoje, o profeta Isaías e o Evangelho utilizam a imagem da vinha do Senhor. A vinha do Senhor é o Seu sonho. O projeto que Ele cultiva com todo o Seua amor, como um agricultor cuida de sua roça. A vida é uma planta que requer muito cuidado. O sonho de Deus é o Seu povo. Ele o plantou e o cultiva com amor paciente e fiel, para que se torne um povo santo, um povo que dê muitos e bons frutos de justiça.

Mas, seja na antiga profecia, seja na parábolaa de Jesus, o sonho de Deus é frustrado. Isaías diz que a vinha tão amada e tão bem cuidada produziu uvas azedas. Enquanto Deus esperava justiça, eis que veio derramamento de sangue. Esperava retidão, e eis que vieram gritos de oprimidos. No Evangelho, por sua vez, os agricultores que cuidam mal da vinha do Senhor. Não fazem seu trabalho, mas pensam em seus interesses.

Em sua parábola, Jesus dirige-se aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo, isto é, aos sábios, à classe dirigente. A estes, de modo particular, Deus confiou o Seu sonho, isto é, o Seu povo, para que o cultivassem, dele tivessem cuidado, o protegessem contra os animais selvagens. Esse é o dever dos dirigentes do povo: cultivar vinha com liberdade, criatividade e operosidade. Diz Jesus que, no entanto, aqueles agricultores se apoderaram da vinha. Movidos pela sua cobiça e soberba, fazem desta o que querem, tirando assim de Deus a possiblidade de realizar o Seu sonho para o povo que escolheu. Isto encontramos na grande profecia de Ezequiel acerca dos pastores, comentada por Santo Agostinho, num célebre discurso dele que há pouco relemos na liturgia das horas – a cobiça do dinheiro e do poder. Foi para saciar essa cobiça que aqueles pastores põem sobre os ombros do povo pesos insuportáveis que eles não tocam sequer com um dedo.

Também nós, no Sínodo dos Bispos, somos chamados a trabalhar pela vinha do Senhor. As assembleias sinodais não servem para discutir belas idéias originas ou para ver quem é mais inteligente. Servem para cultivar e melhor cuidar da vinha do Senhor. Para cooperar com o Seu sonho, com o Seu projeto de amor com o Seu povo. Neste caso, o Senhor nos pede para cuidar da família que, desde sua origem, é parte integrante do Seu amor pela humanidade.

Nós todos somos pecadores. A tentação, a cobiça estão sempre presentes. Também para nós pode haver a tentação de apoderar-nos da vinha por causa da cobiça.que nunca deixa de estar presente em nós, seres humanos. O sonho de Deus está sempre a chocar-se com a hipocrisia de alguns de seus servidores. Não podemos frustrar o sonho de Deus, desde que nos deixemos guiar pelo Espírito Santo. O Espírito nos a sabedoria que vai além da ciência, para trabalharmos generosamente com verdadeira liberdade e humilde criatividade.

Irmãos Sinodais, para cultivarmos e bem cuidar da vinha, é preciso que os nossos coração e as nossas mentes estejam guardados em Jesus Cristo, da parte de Deus que supera toda a ciência. Assim, os nossos pensamentos e os nossos projetos estarão conformes ao sonho de Deus, que o de formar um povo santo que Lhe pertença e que produza os frutos do Reino de Deus.

http://www.youtube.com/watch?v=foOay04Sy5g
(Da altura do minuto 38:37 ao minuto 45:14 )

Trad. Alder Júlio Ferreira Calado