Valorização da família: uma contribuição

familleO sínodo dos bispos da Igreja Católica sobre a família estará a começar em Roma em 5 de outubro. A título de contribuição para a discussão, partilho estas reflexões:

A defesa da família não pode ser um enunciado abstrato. Atualmente, a Igreja não pode reincidir em discursos vazios de defesa da família, que escondem uma ignorância total do seu papel na construção ou destruição da pessoa humana.

Valorizar a família é reconhecer a diversidade de formas com que ela se apresenta na sociedade atual. Diante dessa diversidade, é necessário não apenas uma adequação discursiva, mas, sobre tudo, uma amplitude de compreensão e uma ação efetiva.

Ação no sentido de proteger a mulher vítima da violência doméstica, que atinge graus alarmantes em muitos países do mundo. Ação que estimule os jovens ao estudo e ao trabalho produtivo, afastando-os das drogas, do narcotráfico e da violência.

Ação no sentido de apoiar as inciativas governamentais e de outra ordem, que empreguem os trabalhadores e as trabalhadoras em empregos dignos e bem remunerados, capazes de atender as necessidades do núcleo familiar.

A concentração de renda sobre a qual está assentado o atual modelo de sociedade, implica em subemprego, desemprego, exploração da mão de obra, fome, desnutrição, doenças, depressão, etc. Isto é incompatível com uma concepção cristã da família e da sociedade.

É necessário compreender que é na família que vamos nos tornando a pessoa que somos. A família é a primeira escola da pessoa humana. É nesse núcleo que são construídas as identidades, e é no seio dessa rede relacional, que fazemos as nossas primeiras escolhas, aprendemos a nos defender e a eleger, a dizer sim e a dizer não ao inaceitável.

Aí vamos moldando a nossa personalidade, e no enfrentamento das dificuldades e frustrações, vamos construindo o nosso caráter. Fortalecer a família significa apoiar as inciativas comunitárias, governamentais ou de outro tipo, que apontam para a inclusão social, diminuindo a desigualdade de renda que é uma afronta para a humanidade, a habitação inadequada ou ausente, a saúde precária ou inexistente, a educação de má qualidade ou ausente.