“Vale pode tudo e compra todos?” (Cláudia). E Dom Vicente: Ponte das Almorreimas, Brumadinho/MG. Vídeo 3

“Vale pode tudo e compra todos?” (Cláudia). E Dom Vicente: Ponte das Almorreimas, Brumadinho/MG. Vídeo 3 – 26/12/2019.

Dia 26/12/2019, visitamos a Comunidade rural de Ponte das Almorreimas, em Brumadinho, MG, onde a mineradora Vale está sacrificando mais uma comunidade e um território. Com decreto de desapropriação do governador Romeu Zema e, sob ordem do judiciário para a Vale construir uma nova captação de água para a COPASA, a comunidade de Ponte das Almorreimas se tornou mais uma zona de sacrifício da mineradora Vale. A desculpa é porque a captação de água no rio Paraopeba que o Governo de MG e COPASA tinham inaugurado em 2015, com promessa de garantir segurança hídrica para Belo Horizonte e Região Metropolitana (RMBH) por 25 anos, foi inviabilizada pelo crime/tragédia da Vale e do Estado a partir de Brumadinho, dia 25/91/2019, às 12h28, com a contaminação do rio Paraopeba com lama tóxica. O rio Paraopeba era responsável por 50% do abastecimento de BH e RMBH. A Vale foi obrigada judicialmente a construir uma nova captação de água ao lado do rio Paraopeba pouco acima de Córrego do Feijão, onde barragem de rejeitos minerários estourou. O território escolhido para ser sacrificado foi Ponte das Almorreimas, que era um paraíso terrestre com bioma de Mata Atlântica e uma comunidade com mais de 200 famílias que viviam produzindo sob o regime de agricultura familiar. É o crime/tragédia da Vale e do Estado gerando outros crimes. As famílias de Ponte das Almorreimas estão indignadas e sofrendo muito. Muitos direitos estão sendo violadas em Ponte das Almorreimas. Assista no vídeo 3 aqui as denúncias que Cláudia Saraiva, da Comunidade de Ponte das Almorreimas, faz com veemência. E a reafirmação de Dom Vicente Ferreira, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, MG.

Retroescavadeira a serviço da mineradora Vale recolhendo os escombros – pedras do Muro de Pedra do sítio Histórico e Arqueológico Ponte das Almorreimas -, no município de Brumadinho, MG. Ao fundo a antiga igrejinha de São Vicente de Paulo. A Vale demoliu mais de 300 metros de um Muro de Pedras da época da escravidão, que a Comunidade de Ponte das Almorreimas preservava com carinho. No sítio, arqueóloga e moradores encontram vestígios arqueológicos. Eis mais um crime que está sendo perpetrado pela mineradora Vale. De fato, “de espinheiro só pode vir espinhos”. Foto: Cléria Nogueira. 02/01/2020.

Videorreportagem de frei Gilvander Moreira, da CPT, das CEBs e do CEBI.

Filmagem e Edição: frei Gilvander. Brumadinho, MG, 26/12/2019.

*Inscreva-se no You Tube, no Canal Frei Gilvander Luta pela Terra e por Direitos, no link: https://www.youtube.com/user/fgilvander, acione o sininho, receba as notificações de envio de vídeos e assista a diversos vídeos de luta por direitos sociais. Se assistir e gostar, compartilhe. Sugerimos.

#FreiGilvander