Terena de 50 anos é baleado; indígenas convocam coletiva de imprensa em Campo Grande

O indígena Terena João Pereira, de cerca de 50 anos, foi baleado por um fazendeiro na manhã desta quinta-feira, 19. Ele participava de um protesto em defesa da saúde indígena, realizado na rodovia BR-262, no município de Miranda (MS), região do Pantanal. João foi atingido na perna e foi hospitalizado.

Por volta das 7 da manhã, cerca de mil indígenas da região trancaram a rodovia que liga Vitória (ES) a Corumbá (MS), na fronteira com a Bolívia, reivindicando a pauta dos indígenas que ocuparam na quarta-feira o Distrito Sanitário Especial Indígena do Mato Grosso do Sul (DSEI-MS): a saída do atual coordenador do órgão, Nelson Carmelo.

Foi então que, segundo relato dos indígenas, um fazendeiro, furioso com o bloqueio da rodovia, atacou Pereira. “Nessa hora o João estava sozinho, longe do movimento”, relata um indígena que presenciou o ataque.

O proprietário rural, então, atirou três vezes contra o indígena, acertando-o na perna. “Ele gritou pra gente: ‘vocês tão me atrapalhando’”, e foi pra cima de quem estava sozinho. João foi hospitalizado e passa bem, segundo familiares.

Os Terena convocaram uma coletiva de imprensa em Campo Grande, às 13h, na sede do DSEI, para tratar do caso e exigir a prisão do autor dos disparos. “Isso é inaceitável. E nós não vamos liberar a estrada enquanto esse homem não for preso”, conclui.

Serviço:

O quê? Coletiva de imprensa
Quando? Quinta-feira, 19, às 13h
Onde? DSEI – Rua prof. Luiz Alexandre de Oliveira, 689, Via Park
Por quê? Um indígena foi baleado em Miranda (MS), durante protesto por melhorias na saúde

Contato:
Fernando Souza (presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena do Mato Grosso do Sul) – 67. 8468-8462