Sou contra o impeachment

Eu sou contra impeachment.

As pessoas precisam aprender a se responsabilizar pelo voto. Um número demasiadamente grande de pessoas claramente não entendeu a diferença entre governar e dar bravatas.

O PT entregou o país com 6% de desemprego antes da oposição decidir paralisar o Brasil e derrubar uma presidente eleita a qualquer custo. O “crime” de Dilma foi legalizado no segundo seguinte que Temer chegou ao poder.

O Brasil tem que passar quatro anos comendo o pão que o diabo amassou para saber a besteira que fez de prender o primeiro colocado numa pesquisa eleitoral e dar o poder a uma criança imatura e ao juiz responsável pela manobra que prendeu o líder nas pesquisas.

Os movimentos sociais precisam se organizar foram da esfera do governo, depois de um tempo sem fazer uma oposição efetiva contra a elite podre desse país que dava, em parte, sustentação ao governo dito de esquerda.

As grandes empresas precisam aprender que os limites do governo fazem bem ao país e parar de apoiar projetos fascistas, que no final vão prejudicar a própria atividade produtiva.

Os políticos precisam entender que governar é diferente de “lacrar” – aliás, muita gente precisa aprender isso.

O presidente é esse que temos. Esse completo desastre. Chegamos ao fundo do poço, sem dúvida. Precisamos viver o fundo do poço, para aprender. Não tem outra saída.

Herivelto Quaresma é jornalista internacional baseado no Oriente Médio. Faça contato pelo email ([email protected]) e acompanhe os textos na Revista Consciência.Net.

Seções: Opinião. Tags: .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *