‘Se você é racista, então pelo menos engole’

'Se você é racista, então pelo menos engole'A frase acima é de uma ativista, parte de um vídeo produzido pelas Nações Unidas em parceria com a sociedade civil brasileira, em 2009 – disponível abaixo e infelizmente mais atual do que nunca. O racismo é, no sentido que uso, o preconceito em geral.

De fato, existe um preconceito que devemos ter: o preconceito contra o preconceito. Se alguém ao seu lado não aceita gays, feministas, nordestinos, prostitutas, pessoas vivendo com HIV, negros, pobres, imigrantes, refugiados, estrangeiros, crianças e adolescentes infratores, prisioneiros, seja você preconceituoso. Argumentarão pela “liberdade de expressão”, pelo “direito a ter preconceito”, pelos “valores”, pelos “direitos humanos para humanos direitos”. Então danem-se: seja preconceituoso.

Conforme um ativista gay esclarece na campanha: “Não é ser ou não ser homossexual. Ser ou não ser preto ou branco, pobre ou rico. Mas até que ponto eu entendo o outro”.

Uma das ativistas completa. “Se eu pudesse escolher o que eu vou falar, eu falaria para as pessoas pensarem duas vezes pelo menos antes de falar besteira. Porque é quando você não pensa que você solta o racismo que está dentro de você. Então se você é racista, então pelo menos engole. Antes de falar.”

Quando acaba o diálogo, começa o preconceito. Não aceitar o outro em sua dignidade humana é o problema. Não aceitar a humanidade que existe em qualquer pessoa é a gênese do ódio, do racismo, do neonazismo travestido de “liberdade”. E este preconceito também é a gênese de muitas desigualdades: social, cultural, econômica, política.

A campanha se encontra abaixo. Ouça e dê atenção a este complexo problema que faz parte do nosso cotidiano.

(Todos os vídeos da campanha “Igual a você” disponíveis em www.youtube.com/UNAIDSBr ou clicando aqui)

_____________________________________________
@gustavobarreto_(*) Gustavo Barreto, jornalista. Contato pelo @gustavobarreto_.

Boa tarde, acabei de ver o video sobre preconceito, são tres horas da tarde de sabado dia oito de janeiro de 2010, pela manha na sede do Partido dos trabalhadores da cidade de Porto Alegre participei de uma reunião da setorial anti-racismo do PT-RS, a pauta era a dificuldade de conseguir espaços no governo recen eleito do senhor TARSO GENRO um grande democarta e conhecedor das lutas das questões de etnia, o problema não são as pessoas, pela pessoa de tarso Genro, nós estariamos colocados defendendo nossas propostas, o problema e a estrutura social burgueas e positivista que levanta suas barreiras contra qualquer tipo de
avanço e conceção, espero em um outro contato dar novas e melhores informações por enquanto a luta continua a mesma e as dificuldades iguais mesmo em um governo progresista como o do senhor Tarso Genro.

Luiz Alberto pires
( vice presidente da zonal 112 do partido dos trabalhadores de Porto Alegre )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *