Rumos

A vomitocracia não parece ter percebido o que fez. Empossou no governo do Brasil uma quadrilha criminosa. A ignorância é, de fato, o maior perigo. A pessoa ignorante enxerga inimigos por toda a parte. Vive com medo. Não lê, não estuda, não pesquisa. Aceita passivamente o que a TV e a propaganda lhe dizem. Está aí o resultado. Um país que foi exemplo de inclusão social, de integração das pessoas na sociedade, de promoção da igualdade, atualmente em queda livre.

Lula preso sem ter cometido crime. E a delinquência política institucionalizada, entregando o país de mão beijada à voracidade do capital apátrida. Enquanto isso, a massa ignorante de desinformadas e desinformados, continua com o “discurso” trunco, descosturado, incompreensível, do cabeça da quadrilha. Incapazes de argumentar, atacam a todo mundo. Todo mundo é comunista. Triste destino do Brasil. Vida de gado. Povo marcado, como diz o Zé Ramalho.

Por outro lado, um olhar para a história do Brasil e da humanidade, permite formular algumas perguntas. Quem irá vencer? Davi ou Golias? Serão os trabalhadores e as trabalhadoras, as pessoas que geram valor, criam riqueza, constroem, educam, enfim, fazem a vida, ou os parasitas e as parasitas, os vagabundos e vagabundas, os incompetentes e as incompetentes? Excelência ou excrecência? É um tour de force em que todas e todos somos chamados a participar. Não há camarote. Todo mundo está em campo.

Na perspectiva que os anos permitem, pode-se ver que há uma tendência a que se imponha o imperativo ético. Hitler foi derrotado. Vietnam acabou. Videla, Pinochet, acabaram se mostrando como o que foram. Caem as máscaras. Mas não caem por si sós. Permitir que um elemento avesso aos direitos humanos ocupe a presidência do Brasil, foi um erro grave. Como foi possível isto? Perguntas. Perguntas. Perguntas que tiram o sono. Bom dia!