RJ: Mais de 50 famílias estão ameaçadas de remoção em ‘favela modelo’ de Sergio Cabral

Moradores da favela modelo do governador Sérgio Cabral, o morro Santa Marta, encontram-se ameaçados de remoção pela prefeitura e governo estadual sem que laudos técnicos que comprovem riscos em suas moradias fossem apresentados.

São mais de 50 famílias nesta situação, convivendo com a precariedade nos serviços de iluminação pública, coleta de lixo, além da falta de saneamento básico.

Tais problemas foram relatados ao deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Alerj, durante visita realizada na última segunda-feira (12/3). Ao questionarem a falta de diálogo com o poder público, os moradores cobraram transparência, com apresentação de laudos e estudos que apontem os problemas na área para que as soluções possam ser debatidas e elaboradas democraticamente com quem vive ali.

Os moradores do pico, área mais antiga da comunidade, vizinhos da primeira e mais famosa UPP do Cabral, ao listarem uma série de reivindicações, destacam o fato de serem proibidos de realizar obras de reforma em seus lares. Há a alegação de que a proibição parte de arquitetos e engenheiros que orientam as obras no Santa Marta.

Os moradores contaram que o poder público só esteve lá uma única vez e que protestaram contra a proposta de realocação em apartamentos de 32m² na parte mais baixa do morro. No entanto, não houve uma relação de diálogo entre moradores e poder público, restando às famílias ameaçadas a opção de aceitar os micro-apartamentos, ser indenizadas ou tentar um aluguel social. Ainda assim, as famílias hoje estão optando por insistir no diálogo.

Diante de tal situação, Marcelo Freixo disponibilizou a Comissão de Direitos Humanos da Alerj para viabilizar o diálogo entre moradores e poder público a partir do contato com a UPP Social.

Acesse abaixo a entrevista concedida ao rapper Fiell na ocasião da visita.