Renascer

Difícil permanecer calado diante da atual situação brasileira. Em outros tempos poderia dizer que sinto vergonha do que está ocorrendo no país. Em algum sentido isso é verdade. Tenho uma profunda admiração, uma profunda reverência pela humanidade. A criação me enche de um sentimento que somente a palavra ternura é capaz de expressar aproximadamente.

Ver o Brasil nas mãos de criminosos de lesa humanidade, delinquentes políticos sem sentimentos destruir minuciosamente o país que amo, que me acolheu e onde floresci, me dói enormemente. Sentimento parecido vim ter muitos anos depois a respeito do que a ditadura de Videla fez no meu país de nascença, a Argentina. Como pode um país dar a luz seus próprios algozes?

Venho de um lugar social e de um sonho coletivo de redenção, de reconstrução. Gente que se faz dando as mãos solidarizando, fazendo juntos/as. Mantenho no meu dia a dia, me esforço por manter a cada momento, a sensação total da trajetória da minha vida. A família donde vim, os meus tempos de criança e jovem. Trato de valorizar a cada momento a vida que me foi dada.

Sinto uma profunda repugnância por quem atualmente está à frente do governo do Brasil, uma excrescência que sequer pode ser chamada de humana. Falta-lhe tudo para isso. E não me refiro a uma pessoa, mas à quadrilha que vêm destruindo o Brasil desde pelo menos o ano de 2013.

O elemento judiciário-legislativo-midiático que vêm quebrando as normas básicas de sentimento de pátria, povo, pessoa humana. Dia após dia quebrando, destruindo sem piedade. Falta-lhes sentimento de respeito e compaixão, o afã construtivo, a sensibilidade que nos torna acessíveis aos mundos da arte e da cultura, do amor e da cooperação.

Sem isto somos menos que gente. Mas este tecido tênue, esta luz muito delicada que sustenta e mantêm a vida por toda parte, aquilo a que dou o nome de Deus, é propriamente indestrutível. Não há golpes de estado nem ditaduras nem mentiras que possam contra esse poder antigo e eterno.