PSOL denunciará Bolsonaro por incitação ao crime

images-cms-image-000492941Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) será denunciado ao MP pela bancada do PSOL na Câmara dos Deputados; no domingo (17), ao votar a favor do impeachment, o parlamentar exaltou a ditadura e elogiou Carlos Brilhante Ustra, ex-chefe do Doi-Codi de São Paulo; Ustra é apontado como responsável por ao menos 60 mortes e desaparecimentos em SP durante a ditadura e foi denunciado por mais de 500 casos de tortura cometidos nas dependências do Doi-Codi entre 1970 e 1974; “Não podemos naturalizar esse tipo de violência histórica, apologia e exaltação de um criminoso. É uma vergonha internacional”, disse deputado Chico Alencar (PSOL-SP)

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) será denunciado ao Ministério Público (MP) pela bancada do PSOL na Câmara dos Deputados. No domingo (17), ao votar a favor do impeachment, o parlamentar exaltou a ditadura e elogiou Carlos Brilhante Ustra, ex-chefe do Doi-Codi de São Paulo. Ustra é apontado como responsável por ao menos 60 mortes e desaparecimentos em São Paulo durante a ditadura e foi denunciado por mais de 500 casos de tortura cometidos nas dependências do Doi-Codi entre 1970 e 1974.

Segundo Bolsonaro, o coronel é o “pavor de Dilma Rousseff”. A fala do congressista gerou uma avalanche de críticas nas redes sociais. Na ONG Avaaz, plataforma de petições virtuais, foi criada uma petição pela cassação do mandato do deputado. Até o início da tarde desta terça-feira (19), mais de 91 mil pessoas já assinaram o documento virtual.

O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) afirmou que a fala de Bolsonaro foi uma “cusparada nos direitos humanos”, em uma referência ao cuspe que o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) deu no parlamentar do PSC, após provocações e xingamentos homofóbicos feitos pelo parlamentar.

“Foi uma cusparada nos direitos humanos. Vamos encaminhar uma denúncia ao Ministério Público por apologia ao crime de tortura e assassinato, por tudo que o Ustra representa. Ele foi muito ostensivo, muito agressivo, levando em consideração inclusive que o Ustra foi quem capitaneou a tortura da própria presidente Dilma. Não podemos naturalizar esse tipo de violência histórica, apologia e exaltação de um criminoso. É uma vergonha internacional”, disse Alencar, conforme o Globo.

Os parlamentares cogitam representar contra Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara, mas admitem que a admissibilidade da denúncia pode caminhar a passos lentos.

Bolsonaro já responde a um processo no órgão por quebra de decoro parlamentar. A representação foi movida por PT, PCdoB, PSOL e PSB por um discurso do deputado, que em dezembro ofendeu a deputada Maria do Rosário (PT-RS), dizendo que não a estupraria “porque ela não merecia”.

Fonte: Brasil 247
http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/227109/PSOL-denunciar%C3%A1-Bolsonaro-por-incita%C3%A7%C3%A3o-ao-crime.htm