Privatização da educação em SP; Curso do @Intervozes; Pesquisa sobre redes sociais

Uma fundação de docentes da Universidade de São Paulo, a USP, acaba de criar um curso de graduação pago. Isso mesmo, pago.

O curso de administração foi criado pela Fundação Instituto de Administração, idealizada por professores da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP.

Muitos alunos da graduação tradicional se queixam de que a qualidade de seu curso vem caindo e temem que isso se acentue, caso os docentes da universidade passem a se dedicar mais à FIA.

Para o presidente da Associação dos Docentes (ADUSP), professor João Zanetic, a criação de um curso pago por uma fundação ligada à USP “surpreendeu” a associação e caracteriza “conflito de interesses”. Diz ele: “Na minha avaliação há um claro conflito de interesses se professores da FEA montam uma graduação paga, inclusive no que se refere ao financiamento de uma universidade pública”. Mais na matéria do UOL.

* * *
CIDADE UNIVERSITÁRIA. Por falar em universidade, no Rio de Janeiro autoridades estão aguardando morrer alguém para tomar providências sobre sequestros no Fundão.

Há algum tempo uma quadrilha atua por lá realizando sequestros relâmpagos, à luz do dia, sem que a PM se mobilize. Utilizando sempre os mesmos procedimentos, em horários parecidos.

* * *
CURSO SOBRE REGULAÇÃO DAS COMUNICAÇÕES. A partir das discussões sobre o novo marco regulatórios das comunicações no país, o Intervozes (Coletivo Brasil de Comunicação Social) inicia um processo de formação de seus associados e demais interessados sobre o tema.

O curso será realizado no dia 30 de abril (sábado agora) e 1 de maio (domingo) em Brasília.

A proposta é discutir a necessidade de regulação pelo Estado, as políticas públicas para o setor, as experiências internacionais e os desafios para uma nova legislação no país.

O curso também será transmitido ao vivo pela internet no site www.intervozes.org.br.

* * *
REDES SOCIAIS, ‘COQUELUCHE NACIONAL’. Deu no BlueBus, foi o Luiz Alberto Marinho:

Pesquisa feita pela e-Life no final do ano passado com quase mil usuários de redes sociais em todo o país confirma a tese de que elas se tornaram uma coqueluche nacional. Para você ter uma ideia, basta dizer que, segundo a pesquisa, 42% dos brasileiros passam mais de 40 horas semanais nas redes sociais. Isso equivale à carga horária de muitos trabalhadores.

Nos últimos dois anos, a rede social que mais ganhou espaço no Brasil foi o Facebook, que passou de 49% de penetraçao em 2009 para 91% no final de 2010 e já é o serviço com maior proporçao de cadastrados por aqui. Em segundo lugar vem o Twitter e em terceiro fica o antigo líder, o Orkut.

Mas quando a gente observa qual rede é mais acessada por seus usuários, aí o Twitter passa à frente. Aliás, enquanto o Facebook, o Orkut e o MSN servem principalmente para conectar amigos, o Twitter funciona também para manter o usuário bem informado, e esta seria a sua grande vantagem.

Para terminar, vale dizer que cerca de 98% dos internautas pesquisados acessam a web de casa e 68% fazem isso também no trabalho. Chama a atençao o fato de que 45% deles já navegam na web a partir de seus celulares. Por isso mesmo, as redes sociais também ganham espaço na hora das compras – o estudo mostrou que pesquisar preços e opçoes de produtos dentro das lojas é algo cada vez mais comum.

* * *
MOBILIZAÇÃO MILITAR. Integrantes do corpo de bombeiros estão se mobilizando contra arbitrariedades de seus comandantes no Rio de Janeiro.

Uma das reclamações é a punição a 36 guarda-vidas pelo protesto pacífico realizado na semana passada. Acompanhe em www.sosguardavidas.com

* * *
RESPONSABILIDADE OU MARKETING AMBIENTAL? A Light Rio possui cinco recipientes de lixos para a coleta ambientalmente responsável, como manda o figurino.

Mas é só o figurino mesmo.

Ontem, no almoço, flagrei funcionário misturando tudo…

Share

Comentários

comentários