Policiais abandonam posto e se juntam a manifestantes no Rio de Janeiro

image_largeDois PMs mudaram de lado e se recusaram a reprimir manifestação de servidores contra pacote de austeridade proposto pelo governo de Fernando Pezão (PMDB)

Durante ato que reuniu milhares de servidores públicos do estado do Rio de Janeiro hoje (16), em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, dois policiais militares do batalhão de choque negaram ordens do comando e se retiraram do local em protesto. No momento, os policiais estão cumprindo prisão administrativa pela insubordinação. A atitude resultou em uma diminuição do confronto entre a PM e manifestantes.

Mesmo assim, o conflito foi inevitável. Desde a madrugada, o Palácio Tiradentes, sede da Casa, estava cercado por grades de proteção, que foram derrubadas pelos servidores, muitos deles, inclusive, do setor de Segurança Pública. Os presentes rechaçam o pacote de medidas de austeridade anunciado pelo governo de Fernando Pezão (PMDB).

O ato ainda registrou conflito entre os próprios manifestantes, quando do alto de um carro de som, policiais e bombeiros discursavam com uma bandeira carregando os dizeres “Intervenção militar já” e começaram a chegar manifestantes de centrais sindicais e partidos de esquerda. Um manifestante intervencionista chegou a utilizar spray de pimenta contra o grupo de oposicionista. De acordo com informações, o homem seria um policial aposentado.

A Assembleia começou a debater hoje as propostas anunciadas pelo governo. Estão presentes no pacote 21 projetos de lei que incluem a extinção de programas sociais, aumento de impostos, cortes de gastos e elevação da contribuição previdenciária dos servidores públicos do estado, item que deve ser discutido na sessão de amanhã.

De acordo com o presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), a votação deve ser agendada para alguma data a partir de 6 de dezembro.

Fonte: Rede Brasil Atual
http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2016/11/policiais-negam-reprimir-manifestantes-no-rio-de-janeiro-9202.html