Pertencimento, ainda e sempre

Para as terapeutas comunitárias e os terapeutas comunitários

Encontrei o meu lugar no meio de vocês, e isto não é pouco. Isto é tudo de que eu precisava. Encontrei o meu lugar no meio de vocês, e desde aqui, fui chegando a mim mesmo, o lugar onde devo estar. O lugar em que posso ser. Hoje de madrugada reflito sobre esta caminhada de volta para mim mesmo.

Ela é sobre tudo, uma caminhada em que fui percebendo que tenho um lugar no mundo, e esse lugar é aqui na Terapia Comunitária Integrativa. Na TCI encontrei o sentido do viver, em grau sumo. Aqui a poesia. Aqui a literatura. Aqui os ecos em que me vejo, revejo.

Aqui vim saber quem sou, no meio aos reflexos em que me vejo em cada uma, em cada um de vocês. Vocês tem nome e sobrenome, vem de algum lugar, assim como eu venho de Mendoza, Argentina, o lugar onde estou voltando cada vez mais.

A vida me trouxe para o Brasil devido a fatos que não devo nomear, e hoje me leva de volta para o lugar onde nasci. Mas não vou perder o lugar que construí aqui, no meio de vocês, e de outras redes sociais como a do cristianismo da Libertação, onde também me sinto em casa.

Aqui na TCI, e também na caminhada do Evangelho, fui reencontrando o ser que sou. A tarefa da vida. Aqui fui encontrando e continuo encontrando a minha sensação de ser parte, a sensação de pertencer, sem a qual não somos nada.

As rodas da TCI oferecem isto a todas as pessoas, a quem como eu andou desgarrado anos a fio, sem saber quem era nem para que vivia nem para onde iria, pois estava fora de mim mesmo. Isto é uma tarefa sagrada, se me permitem, e vocês sabem disto.

Hoje me encontro em coisas como esta que vocês estão lendo. Me descobri e continuo me descobrindo nas coisas que escrevo, nos livros que leio e nos que vou gerando a partir de diálogos como este. Obrigado por estarem ali, cada uma, cada um de vocês, TCs.

Amigo Rolando
Maravilhoso se autodescobrir e a TCI faz esse significativo papel quando nos permitimos. Como uma fenix ressurgimos para um viver na luz, reconhecendo nos irmãos o sentido da vida. Compartilho da sua alegria em retornar para os seus em Mendoza , alias aprendi a amá-la por você.
Continuamos a ama-lo e a emergir na sua sabedoria, e saiba que cada um que teve o privilégio de conhecê-lo terá você no coração. Um abraço integrativo.Clea

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *