Pega na mentira (ou na manipulação)!

Ivson Alves, Coleguinhas

Leitor anônimo parece ter pegado o Josias de Souza, da Folha, numa mentira (não seria de admirar, dada a folha corrida do rapaz). Veja o que nos informa a fonte, em comentário ao post sobre a surtada do Globo no sábado:

No blog do Josias, ele postou isso aqui:

“Acórdão do TCU contradiz versão de Dilma Rousseff”
http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2008-03-30_2008-04-05.html#2008_03-30_01_15_12-10045644-0

Mas é mentira. Ele está linkando um documento que não é o que a Ministra Dilma se refere.

Tentei comentar no blog dele mas vem a estranha mensagem “Erro Interno do Sistema” e não publica o comentário, que é este:

“Deixe de sofismas, Josias.

Posta aí o documento correto do TCU a que a Ministra Dilma se refere, este aqui:

http://contas.tcu.gov.br/portaltextual/MostraDocumento?lnk=(acordao+adj+230/2006+adj+plenario)[idtd][b001]

No documento correto aparecem muitas menções às prestações de contas retroativas ao governo anterior. O TCU pede para o atual governo prestação de contas do cartão corporativo da época do governo anterior, isso está claro. E como fazer isso sem informatizar criando o SUPRIM? Você somaria as despesas na mão, Josias? Há até elogios do TCU quanto ao aprimoramento da prestação de contas através da criação do banco de dados SUPRIM tais como no capítulo “Voto do Ministro Relator”, item 12 parte I, que abrange 2002.

Quem ler o documento correto vai perceber que você está manipulando e “escandalizando o nada”.

Banco de dados oficial reconhecido e elogiado pelo TCU não é dossiê.”

Abraços, Coleguinha!

Além do item 12, citado pelo leitor, tem ainda o item 5, no qual o ministro Ubiratan Aguiar, relator da auditoria, fala também que o serviço da Suprim abrange 2002 e nada obsta ao fato. Aliás, seria estranho que o fizesse – o TCU nunca se queixa de informações de mais, só o contrário.

Agora, caro Anônimo, você já postou esse comentário no blog do Nassif? Ou mesmo mandá-lo para o colegão? Seria uma boa.

Comentários

comentários