Paulo Maluf se complica

A FOLHA deste domingo 18 informou que o próximo alvo do Ministério Público Federal e da Polícia Federal na investigação sobre as remessas internacionais de dinheiro atribuída a Paulo Maluf é a direção da empresa Mendes Júnior. Quando a Procuradoria acusou formalmente na Justiça Maluf e o filho Flávio por corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha, afirmou que o dinheiro remetido para o exterior fazia parte dos pagamentos da Prefeitura de São Paulo à construtora. A Mendes Júnior foi a responsável pela construção da avenida Água Espraiada, que custou aos cofres públicos aproximadamente US$ 600 milhões. Segundo o MPF, continua a FOLHA, a obra foi um escoadouro de dinheiro para contas no exterior. Original.

Na quinta 22 o jornal O GLOBO publicou que Maluf e seu filho Flávio vão continuar presos na sede da Superintendência da PF da capital paulista, por tempo indeterminado. Na quarta 21, ambos foram derrotados em mais uma tentativa de conseguir a liberdade. O ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou os pedidos de hábeas-corpus feitos pelos advogados dos dois. Dipp explicou, em seu despacho, que o STJ não pode conceder um benefício que ainda não teve o mérito julgado pela instância inferior, no caso o Tribunal Regional Federal (TRF) em São Paulo. O TRF negou um pedido de liminar, mas ainda não examinou o mérito do hábeas-corpus. No original d’O GLOBO.

Share

Comentários

comentários

Revista diária fundada em 13 de maio de 2000.

Seções: Opinião.