Papa Francisco: mantenham a esperança!

Mensagem do Papa Francisco – “Angelus”, dia 15/11/2015

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

O Evangelho deste penúltimo domingo do ano litúrgico propõe uma parte do discurso de Jesus sobre os últimos acontecimentos da história humana, orientada para o pleno cumprimento do Reino de Deus. É um discurso que Jesus fez em Jerusalém, antes de Sua última páscoa. Contém alguns elementos apocalípticos, como guerras, catástrofes cósmicas. Diz: “O Sol vai escurecer, a Lua não dará mais sua luz, as estrelas cairão e as potências celestes ficarão abaladas.” Contudo, esses elementos não constituem o essencial desta mensagem. O núcleo central em torno do qual gira o discurso de Jesus, é Ele mesmo, o mistério de Sua Pessoa, de Sua morte e ressurreição. É a Sua volta, no fim dos tempos.

A nossa metal final é o encontro com o Senhor Ressuscitado. Gostaria de lhes perguntar: quantos de vocês pensam nisto? Haverá um dia em que eu encontrarei face a face o Senhor. Eis a nossa meta: este encontro. Nós não esperamos um tempo ou lugar, mas caminhamos em direção a uma Pessoa: Jesus. Portanto, o problema não é quando é que vão acontecer os sinais premonitórios dos últimos tempos, mas fazer-nos preparados para o encontro. E não se trata, tampouco, de sabermos como se darão essas coisas, mas de como devemos comportar-nos hoje na esperança daquelas. Somos chamados a viver o presente, construindo o nosso futuro, com serenidade e confiança em Deus.

A parábola da figueira que germina como sinal do verão que se aproxima, não diz que a perspectiva do fim não nos afasta da vida presente, mas nos faz olhar para os nossos dias com um olhar de esperança. Esta que é tão difícil de viver, a esperança – a menor das virtudes, mas a mais forte. E a nossa esperança tem um rosto: o rosto do Senhor Ressuscitado, que vem com grande poder e glória, isto é: que manifesta Seu amor crucificado e transfigurado na Ressurreição. O triunfo de Jesus, no final dos tempors, será o triunfo da cruz, a demonstração de que o sacrifício de Si próprio por amor ao próximo, à luz de Cristo, é o único poder vitorioso, é o único ponto firme em meio aos desacertos e às tragédias do mundo.

O Senhor Jesus não é apenas o ponto de chegada da peregrinação terrena, mas é uma presença constante em nossa vida. Ele sempre está junto de nós, nos acompanha sempre. Por isso, quando fala do futuro e nos projeto para ele, é sempre para nos reconduzir ao presente. Ele se coloca contra os falsos profetas e visionários que preveem para breve o fim do mundo. É contra o fatalismo. Ele caminha conosco, nos quer bem. Ele quer afastar seus discípulos, de qualquer época, da curiosidade pelas datas, das previsões, dos horóscopos, e concentra nossa atenção sobre o hoje da história. Gostaria de lhes perguntar – cada qual responda para si mesmo: quantos de vocês lêem o horóscopo do dia? E quando lhe der vontade de consultar o horóscopo, olhe para Jesus. Vai lhe fazer melhor.

Esta presença de Jesus nos clama por esperança e por vigilância, que excluem tanto a impaciência quanto a sonolência, tanto as fugas para o futuro quanto o permanecer aprisionado ao tempo atual e ao mundanismo. Também aos nossos dias não9 faltam calamidades naturais e morais, e tão pouco faltam adversidades e distorções de todo tipo. Tudo passa, lembra-nos o Senhor. Somente Ele, Sua Palavra permanece como luz que guia e firma nossos passos, e nos perdoa sempre, porque está junto a nós. Só é preciso olhar para Jesus e mudar o coração.

Que a Virgem nos ajude a confiar em Jesus, o sólido fundamento de nossa vida, e a perseverar com alegria no Seu amor.

https://www.youtube.com/watch?v=LbSmSMN6WmI
(Do minuto 01:59 ao minuto 10:25 )
Trad.: AJFC

Nós também Somos Igreja, grupo de estudo, reflexão e ação social cristã.

Seções: Mundo. Tags: , .