Oficina de (in)formação para comunicadores sobre raça e etnia na educação, em SP

No Brasil, 7,1% das pessoas brancas acima de 15 anos são analfabetas, enquanto entre os negros este índice é de 16,9% na mesma faixa etária. Na educação infantil, as taxas de atendimento para as crianças de 0 a 6 anos são de 10,3% entre brancos; 9,5% entre negros e 8,3% entre pardos. Apesar da proximidade no número de matrículas no ensino fundamental entre brancos e negros (94,7% e 92,7%, respectivamente), a evasão escolar é maior entre os alunos negros. Entre os estudantes de ensino médio, a quantidade de brancos, 52,4%, é quase o dobro da de pretos e pardos, 28,2% (dados: IBGE, 2000 e 2004; Seab).

Apesar dos números expostos, as questões étnico-raciais não têm presença constante no noticiário educacional brasileiro. Como abordar tais questões nos meios de comunicação? Quais fontes e dados estão disponíveis? Quais os caminhos possíveis para realizar uma boa cobertura com o viés étnico-racial? Estes e outros pontos serão tema de reflexão na oficina “Abordagens possíveis sobre raça e etnia na educação”, destinada a contribuir com o trabalho de comunicadoras/es. Será nesta sexta, dia 28 de abril de 2006, às 9hs, na sede da Ação Educativa (Rua General Jardim, 660 – 2º andar – Vila Buarque – SP/SP). Organização: Observatório da Educação. Informações adicionais no (11) 3151-2333, ramal 130/131, de segunda a quinta, das 9h às 16h, ou no e-mail: observatorio@acaoeducativa.org

Share

Comentários

comentários

Revista diária fundada em 13 de maio de 2000.

Seções: Opinião.