Oficial da ONU pede que Brasil melhore lei sobre imigrantes

Por Nanna Pôssa, da Radioagência Nacional

Em debate sobre as fronteiras do século XXI e a crise migratória, representante do alto comissariado das Nações Unidas para refugiados defende que o Brasil avance na legislação sobre imigrantes. De acordo com o oficial de Proteção, Gabriel Godoy, a lei brasileira é referência na proteção aos refugiados, mas ainda são necessárias melhorias.

Os apátridas são pessoas que não têm nenhuma nacionalidade. Situação em que se encontra Maha Mamo, que nasceu e cresceu no Líbano. Filha sírios, pai católico e mãe muçulmana, o casamento dos pais não é reconhecido no Líbano nem na Síria. Com isso, viveu até os 26 anos sem documentos. Após pedir ajuda à embaixada Brasileira, ela está há um pouco mais de um ano morando em Belo Horizonte e aguarda resposta a pedido de refúgio no Brasil.

De acordo com estimativas da ONU, existem cerca de 10 milhões de apátridas no mundo. A discussão sobre a crise migratória fez parte da programação desta quarta-feira (9) do Emergências, evento produzido pelo Ministério da Cultura para discutir arte, política e ativismo.