O jeito “Claro” de ser

Estou comprando um telefone móvel da Oi, de reserva, por conta do jeito “Claro” de ser. Quem quiser é só pedir por email.

O jeito Claro de ser tem 07 passos até a sua plena satisfação:

  1. A qualquer momento, por qualquer motivo, sua linha de celular poderá ser bloqueada.
  2. A linha será bloqueada apenas após 21h, quando o setor de cobrança já estará fechado.
  3. Quando a empresa Claro perceber o erro grosseiro e religar sua linha, o chip apresentará um defeito e aparecerá como não registrado. Isso fará com que você não consiga nem sequer ligar para o atendimento Claro (1052).
  4. Após uma longa explicação, numa loja, sobre o ocorrido – que acontecerá no mínimo quatro vezes ao ano -, o atendente tentará fazer você pagar pelo chip. (Dica: seja atendido pelo/a mesmo/a atendente, para causar um certo constrangimento do tipo “você, de novo?”)
  5. Após “convencer” o/a atendente, seu telefone ficará desligado por no mínimo 24 horas, isso se a Claro realmente religar um dia.
  6. Você precisará perder de 2h a 8h, entre idas e vindas à loja (porque o celular, lembre-se, está bloqueado até para o atendimento Claro) para conseguir religar o aparelho.
  7. Parabéns! Após passar por este processo, você estará apto a viver o jeito Claro de ser!

Se você, leitor deste humilde blog, acha que estou citando um caso, registro que já ocorreu exatamente a mesma coisa três vezes.

A opção pelo telefone de reserva da Oi se dá porque, entre todas as “opções” que temos no sistema de telefonia “nacional” – lembrando que o mexicano Carlos Slim, proprietário da Claro, é o latino mais rico do mundo -, todas são iguais. No entanto, a Oi é a única que ainda não experimentei. As outras duas (Vivo e Tim) já apresentaram problemas ainda piores de desrespeito ao consumidor.

A Vivo, por exemplo, cancelou meu número em 2007 sem qualquer justificativa (bastou um “erro de sistema” e adeus celular!) e, não contente, continuou a enviar a “conta” de um número que sequer tinha cliente, todo mês, em meu nome.

Agradeço a Fernando Henrique Cardoso e seus comparsas pela modernização do país.

A amiga Esther adiciona:

“Acrescente-se a isso que a Claro é bastante eficiente quando entramos com um processo contra ela. Confiando na morosidade da justiça brasileira, mantém as ações em banho-maria, entrando com recursos sem fim, sem perder prazos nem tempo. Apelando para a famosa “chincana”, consegue adiar para o fim dos tempos as sentenças, sem ligar para os problemas e constrangimentos que causa às suas(seus) vítimas/clientes. Mas nisso não é diferente de nenhuma outra empresa de telefonia….

Pior do que isso é o Metrô do Rio de Janeiro. Aumentando o tempo entre os trens, consegue ser pior do que a Supervia (empresa que recebeu de presente do governo FHC a antiga RFFSA). Trens superlotados, mal iluminados, sem refrigeração, escadas rolantes quebradas ou desligadas, ausência total de seguranças nas estações. Depois da privatização, andar de metrô do Rio de Janeiro se transformou em um tormento para quem depende deste meio de transporte para chegar ou sair do trabalho.”