Nesse ano novo…

Nesses dias, passei da agenda de 2017 para a nova de 2018 os compromissos assumidos para esse ano novo. Ao fazer isso, me dei conta de  muitas esperanças, apesar dos enormes desafios que teremos de enfrentar. 

Já agora em janeiro, teremos em Londrina, PR, de 23 a 27 o 14o encontro intereclesial de CEBs. Serão quase três mil pessoas, representantes de comunidades eclesiais de base e seus assessores, além de alguns bispos, padres e religiosos;as que estarão reunidos/as para refletir sobre os “Desafios do mundo urbano”. Tomara que esse encontro represente uma retomada da caminhada e não signifique apenas um encontro a mais. Alguém me perguntou se recentemente esses encontros de Cebs não se tinham transformado em encontros mais eclesiásticos e mais de gente de classe média que fala de Cebs, mas não as vivem no cotidiano. Vamos agora tirar a prova e retomar uma energia nova e original.

Em minha agenda, em março, Fórum Social Mundial em Salvador, Bahia. É um encontro de cidadãos e cidadãs da humanidade que buscam um novo mundo possível. Nas suas versões mais recentes, o FSM foi um pouco esvaziado e parecia em crise. De tal forma as organizações sociais se deram conta de que não têm outra instância e não surgiu ainda alternativa válida que temos de pôr toda a nossa energia de fé e de coragem nesse encontro da humanidade ou da sociedade civil por mudanças substanciais. Entidades do mundo todo tentam formar (espero que formam ali em março) um organismo mundial das organizações sociais. Está cada vez mais claro que a ONU representa governos e não os povos. Atualmente queremos uma organização que represente a humanidade toda. Não basta uma ONU. Queremos uma OMHU (Organização Mundial da Humanidade Unida). Será que conseguiremos isso? Amigos como Riccardo Petrella propõem uma Lei EM NOME DA HUMANIDADE. Uma lei que proclame os bens comuns a todos os seres humanos e que não podem ser privatizados: terra, água, sementes nativas, conhecimento para a saúde, etc. Participarei de um encontro do /grupo Novos Paradigmas para uma nova Civilização… E a fé em meio a isso tudo. Ali nos mesmos dias em Salvador e no âmbito do Fórum Social se reunirá o 6o Fórum Mundial de Teologia da Libertação. Ali a palavra de ordem é resistir para transformar…

Gente, só cheguei a março. E o desafio da Política Brasileira? Será que conseguiremos o que a Frente Brasil Popular está propondo: uma série de Congressos do Povo em todas as capitais no primeiro semestre para preparar um grande Congresso no Maracanã no Rio de Janeiro. Ali as organizações sociais dirão como vamos resistir e o que fazer nas eleições de setembro…. para que não sejam apenas um processo eleitoral a mais e sim um começo de verdadeira reforma política para um Brasil novo… Vamos lá, gente… Só de falar essas coisas, vocês se cansaram. Mas, tem mais e depois eu continuo…

Share

Comentários

comentários