África
.

As últimas notícias estão disponíveis clicando aqui

congo
Fronteiras do Congo são fechadas para eleição

As autoridades da República Democrática do Congo disseram ter fechado as fronteiras do país para garantir a segurança das eleições presidenciais deste domingo, as primeiras depois de quarenta anos de conflitos e instabilidade política. O presidente do Congo, Joseph Kabila, pediu o fim da violência em seu último comício antes da eleição deste domingo. Kabila, que é um dos mais de 30 candidatos à presidência, conclamou seus eleitores a “abrir uma nova página” na história do país. Ele disse que gostaria de ver as eleições, que escolherão presidente e 500 parlamentares, transcorrendo de forma pacífica e calma. Da BBC Brasil, em 28/7/2006.

QUESTÃO ÉTNICA # 15/07/2006
Conferência de Intelectuais da África e da Diáspora: Declaração de Salvador

Imagem: Tela de Mônica Santana“A crescente consciência de uma cidadania africana, com suas repercussões políticas, econômicas e culturais, e o entendimento dos Estados da África, reunidos em torno à União Africana, constituem elementos essenciais ao Renascimento Africano”. Leia a íntegra do documento aprovado em Salvador, ao fim da II CIAD - Conferência de Intelectuais da África e da Diáspora..[+]

multiculturalismo
Centro Cultural Africano promove premiação intercultural

O primeiro Prêmio África Brasil, promovido pelo Centro Cultural Africano, ocorrerá no Dia da África - 25 de maio de 2006, sendo que as demais premiações ocorrerão em citada data ou dia próximo. A relação deste projeto ao dia da África é para ressaltar a importância deste dia aos africanos, e também da influência do provo africano na cultura brasileira. Segundo os organizadores, a ligação entre o Brasil e a África está muita além da inegável herança africana, que pode ser sentida nas mais diversas manifestações culturais do povo brasileiro, seja na religião, na culinária ou na música. É muito mais que isso: a África está presente na própria constituição do povo brasileiro. Se há certos traços capazes de caracterizar um povo, não pode haver dúvidas de que o povo brasileiro não seria o que é sem que o espírito da mãe África habitasse o seu corpo. Informações adicionais na página www.premioafricabrasil.org..(Da redação, 6/5/2006)

Soudan
L'offensive gouvernementale menace les civils du Darfour

Le gouvernement soudanais a lancé une nouvelle offensive militaire au Sud Darfour qui met gravement en danger les civils, a déclaré aujourd'hui Human Rights Watch. New York, 27 avril 2006..[+]

Sudão- Darfur
Indiferença diante de pressão internacional

Enquanto o governo dos Estados Unidos é cada vez mais exortado a deter o que foi qualificado de genocídio na região sudanesa de Darfur, os últimos acontecimentos sugerem que o regime islâmico de Cartum não está preocupado com a crise. Um dos muitos sinais desta situação foi a decisão do governo do Sudão de bloquear a visita prevista para meados de abril a Darfur do subsecretário-geral da Organização das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Jan Egeland. Matéria de Jim Lobe no jornal Brasil de Fato, abril de 2006..[+]

RD Congo
Elections à risques pour les enfants de la rue

A l'approche des élections présidentielles, les dizaines de milliers d'enfants des rues que compte le Congo risquent d'être victimes de manipulations politiques et de maltraitances physiques, a déclaré Human Rights Watch dans un rapport publié aujourd'hui. Ces dernières années, les dirigeants des partis politiques ont recrutés des enfants des rues pour semer l'agitation lors de manifestations de masse. Dans la plupart des cas, les forces de l'ordre ont réagit à ces manifestations par un usage excessif de la force, tuant ou blessant ainsi des dizaines d'enfants. (...) Human Rights Watch, Kinshasa, le 4 avril 2006..[+]

pilhagem biológica
Las multinacionales extraen recursos biológicos de África sin devolver los beneficios

Decenas de multinacionales biotecnológicas y farmacéuticas occidentales se están haciendo ilegalmente con recursos biológicos de África para desarrollar en sus laboratorios productos muy lucrativos cuyos beneficios no revierten en sus países de origen, violando con ello la Convención sobre Biodiversidad de la ONU, según denuncia un informe conjunto estadounidense y sudafricano publicado por el diario londinense 'The Independent' y con tradución en español por EcoPortal (mar/20006)..[+]

Clique na imagem.
Imagens não falam. Uma das imagens vencedoras do World Press Photo 2005, da Reuters: crianças de rua em Kinshasa, no Congo. Grandes portais só não informaram que no país morrem 38 mil pessoas todos os meses vítimas do neoliberalismo. (Destaque: www.novae.inf.br)

darfur
Missão enfrenta problemas

Uma missão da União Africana (UA) para a manutenção da paz em Darfur, reino independente anexado pelo Sudão em 1917, poderá ser interrompida por falta de dinheiro, afirmou o presidente da Comissão da UA, Alpha Oumar Konaré. Num relatório apresentado à 45ª sessão do Conselho de Paz e Segurança (CPS) da UA, Konaré declarou que "esta presença reforçada teve incontestavelmente um impacto positivo na situação no terreno, mas o financiamento constitui um grande obstáculo". Da redação, fevereiro de 2006..[+]

Tchad
Le conflit du Darfour s'étend de l'autre côté de la frontière

Les milices janjaweed et les groupes rebelles tchadiens soutenus par le gouvernement soudanais mènent des attaques transfrontalières sanglantes dans des villages situés à l'Est du Tchad, a déclaré Human Rights Watch dans un nouveau rapport publié aujourd'hui. Human Rights Watch a appelé la Mission de l'Union africaine au Soudan à patrouiller de façon plus active autour des points stratégiques qui jalonnent la frontière tchadienne. Il s'agit de dissuader d'éventuelles attaques contre les populations. (...) Human Rights Watch, le 21 février 2006..[+]

desertificação
Seca e temperatura de 40 graus matam africanos

Halima Muhammad está enfrentando a pior seca que atingiu o leste da África em décadas. Mas quando um grande lago de água fresca apareceu diante dela no outro dia, no meio da terra seca, esta mulher sedenta com oito filhos com sede fez algo notável: ela não saiu do lugar. A água (...) não é suficiente para a comunidade de 6 mil pessoas de Halima. Os anciões a dividem, exigindo que almas sofredoras como a dela aguardem na fila até seus nomes serem chamados antes que possam se aproximar do lago e retirar o suficiente para encher um cântaro de 20 litros. A matéria, do dia 19/2/2006, pode ser acessada pelo portal AmbienteBrasil.


Fonte: Revista NovaE.inf.br, janeiro de 2006

sudaneses
Entidades pedem à ONU investigação sobre mortos no Egito

Cairo: confronto deixou 27 mortos; Foto: Ben Curtis/Associated PressDoze organizações egípcias de direitos humanos pediram por escrito à ONU que abra uma investigação internacional para esclarecer a morte de mais de 20 sudaneses nas mãos da Polícia do Egito em 30 de dezembro de 2005. Por Gustavo Barreto, da redação Consciência.Net para o Fazendo Media, 6/2/2006..[+]

Congo
38 mil mortos. Todo mês

Quase 4 milhões de pessoas já morreram na guerra da República Democrática do Congo, afirmou um artigo publicado recentemente no jornal de medicina 'Lancet'. Se a informação for confirmada, trata-se do maior número de mortes em um conflito desde a Segunda Guerra Mundial. A diretora adjunta da organização de direitos humanos Médicos Sem Fronteiras (MSF), Helen O'Neill, esteve recentemente na cidade de Lukona, Katanga, e relatou ao Conselho de Segurança da ONU a catástrofe humanitária. Da redação Consciência.Net, fevereiro de 2006..[+]

Somália
Somália à beira de desastre humanitário

A seca no sul da Somália se agravou nos últimos meses e causou fome e morte no país, dizimando cabeças de gado e obrigando milhares de pessoas a buscarem refúgio nas cidades, informou nesta terça (24/1) um correspondente da Agência EFE no país, Abukar Albadri. "Uma média de oito pessoas está morrendo diariamente de fome nessas regiões", declarou Hassan Moalim Yusuf, funcionário de uma agência humanitária em um dos campos de refugiados de Mogadíscio, capital do país. Da redação Consciência.Net, 28/1/2006..[+]

Etiópia
Magicians on a mission: entertaining refugees, teaching the world

Towards the end of last year a tall, graceful, bearded man stood before mesmerized Somali refugees in an Ethiopian camp pointing at a long piece of white paper in his other hand. "Imagine this is your life. It is a whole life, a good life. And then war comes, famine comes, and you lose your friends, you lose your work, you lose your family, you lose your home and finally you lose your homeland and have to flee to another country as a refugee. And then you lose years and years and years living in a refugee camp", said Tom Verner, a magician on a self-appointed mission to help refugees, tearing off a piece of the paper at each repetition. "But, with hope, imagination and courage your life will come back together again because your suffering is like bread and if you eat the bread of your suffering". By UNHCR, 20 Jan 2006.

imprensa alternativa
Brasil de Fato: sempre perto da África e da América Latina

Assine o Brasil de Fato e receba todas as semanas, em sua casa, um jornal comprometido com uma visão popular dos fatos do Brasil e do mundo. Você pode pagar com cartão de crédito, cheque ou boleto bancário. A assinatura pode ser feita pela Internet ou através do telefone (11) 2131-0800. O jornal Brasil de Fato é o resultado das aspirações de lutadores de movimentos populares, intelectuais de esquerda, sindicatos, jornalistas e artistas que se uniram para formar uma ampla rede nacional e internacional de colaboradores. O caderno internacional merece destaque. Ele traz notícias sobre a África e a América Latina que não são publicadas em nenhum outro meio de comunicação brasileiro. Saiba mais: www.brasildefato.com.br

humanistas
Realizado em Dakar primeiro Fórum Humanista Africano

Foi realizado em Dakar (Senegal), nos dias 5, 6 e 7 de janeiro, o primeiro Foro Humanista Africano (foto). Cerca de 1.000 pessoas participaram do Fórum, enquanto outras 1.800 do Encontro Social, confraternização realizada ao final do evento. Em breve, os organizadores irão divulgar informações mais detalhadas e os próximos passos. Outras informações no email humanisten@netcologne.de ; Clique aqui e veja algumas fotos do evento (em formato PDF).

genocídio
França acusada de ajudar genocídio em Ruanda

Em depoimentos precisos e concordantes, testemunhas dizem ter visto os soldados do exército francês entregando tutsis amarrados às milícias hutus, estuprando mulheres e matando homens tutsis refugiados na "Zona Humanitária Segura". Por Piotr Smolar, para o Le Monde, 10/12/2005. Tradução de Jean-Yves de Neufville no Mídia Global..[+]

etiópia
Presos por crime de opinião

Resistência democrática do país africano é combatida com violência pelo governo. A História de um país explorado, sub-administrado e esquecido pela mídia. Por Gustavo Barreto, especial para o Fazendo Media, 5/12/2005..[+]

mobilização
Fóruns Sociais na África

Em preparação ao FSM 2006 policêntrico em Bamako e no processo rumo ao VII Fórum Social Mundial, que será realizado em Nairobi, no Quênia, em 2007, iniciativas continentais, regionais e locais estão ocorrendo nos diversos países da África no final deste ano e ao longo de 2006. Entre os dias 1 e 5 de dezembro, acontecerá em Conacri, na República da Guiné, a quarta edição do Fórum Social Africano. As edições anteriores do evento ocorreram em Bamako, Mali (2002), Adis Adeba, Etiópia (2003) e em Lusaka, Zâmbia (2004). O evento de 2005 será organizado pelo Conselho do Fórum Social Africano e pelas organizações International Trade Centre for Development (CEDICE) e Guinean National Council of Civil Society. Veja a metodologia e as inscrições para o evento no site  www.globesolute.com/africasocial ; Os e-mails de contato são cecidegn@yahoo.fr e cedice@bluemail.ch

angola
A conexão Angola do valerioduto

As investigações sobre o valerioduto devastaram o núcleo central do governo Lula, atravessaram o Atlântico e, agora, podem se transformar num campo minado também para o governo do presidente de Angola, José Eduardo dos Santos. Na busca dos tentáculos internacionais do empresário Marcos Valério de Souza, os investigadores do caso esbarraram em 21 remessas do Trade Link Bank, uma off-shore com sede nas Ilhas Cayman, para o ministro das Finanças de Angola, José Pedro de Morais Júnior, e para o presidente do Banco Nacional (o Banco Central daquele país), Amadeu de Jesus Castelhano Maurício, dois dos principais integrantes da equipe econômica de Santos. No total foram remetidos para contas das duas autoridades cerca de US$ 2,7 milhões. Reportagem de Jailton de Carvalho n'O Globo de 13/11/2005.

costa do marfim
Empresas acusada de ignorar trabalho escravo infantil

A organização International Labour Rights Fund, com sede nos EUA, entrou com ação contra 3 grandes empresas de alimentos - a Nestlé, a Cargill e a Archer Daniels Midland. Acusa as 3 de ignorarem as condições de trabalho em plantações na África, das quais compram cacau. O grupo atua em nome de 3 crianças que teriam sido traficadas para fazendas na Costa do Marfim onde trabalhariam em regime de escravidão. Segundo notícia do Financial Times, uma audiência preliminar está marcada para 2a feira. Leia em inglês, somente para assinantes. Dica do BlueBus, 26/8.

uganda
Exposição fotográfica mostra crise humanitária no norte da Uganda

Uma das mais graves e desconhecidas crises humanitárias do mundo acontece no norte da Uganda, onde há 19 anos um conflito entre as tropas do governo e os rebeldes do Exército de Resistência do Senhor vem deixando milhares de pessoas deslocadas internamente. Acredita-se que pelo menos 1,6 milhão tenham fugido de casa e estejam vivendo em campos de deslocados espalhados pela região. A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) vem oferecendo cuidados de saúde no norte da Uganda desde 1986, com programas de saúde mental e de atendimento básico, centros de nutrição terapêutica, clínicas móveis e ainda serviços de água e saneamento nos campos de deslocados. Além de doenças como cólera, sarampo, malária e diarréia, a população do norte da Uganda sofre com a violência. Estima-se que pelo menos 20 mil crianças tenham sido seqüestradas e usadas como escravos sexuais ou soldados, desde 1990. Metade dos seqüestros ocorreu nos últimos dois anos. De acordo com as Nações Unidas, esta é a maior crise humanitária esquecida no planeta. Veja aqui as fotos. (22/8)

saara ocidental
Frente Polisário liberta 404 prisioneiros

RABAT. Chegaram ontem ao Marrocos os últimos 404 prisioneiros de guerra que estavam nas mãos da Frente Polisário, movimento que luta pela independência do Saara Ocidental. Alguns dos libertados estavam detidos há quase 20 anos. Os ex-prisioneiros foram libertados em Tindouf, na Argélia, e levados para a cidade marroquina de Agadir em dois aviões fretados pelos EUA, que mediaram a devolução dos detidos. Alguns dos homens têm mais de 60 anos de idade. Do jornal O Globo, 19/8..[+]

egito
Milhares protestam contra ditador

Cerca de 6.000 pessoas se reuniram hoje na capital do Egito, Cairo, para protestar contra o anúncio feito por um membro do governo do ditador Hosni Mubarak de que não serão aceitos observadores internacionais nas eleições do mês que vem. Os manifestantes eram embros da Aliança Nacional pela Reforma e Mudança, coalizão dominada pelo grupo banido Irmandade Muçulmana, o mair grupo islâmico egípcio. O alvo dos manifestantes foi o ditador Mubarak, contra o qual gritaram "Não o elejam; punam-no; levem-no a julgamento". A aliança pediu também a libertação de prisioneiros políticos. A manifestação dissolveu-se com a aproximação do horário das preces do fim da tarde. Da Folha de S. Paulo, 15/8..[+]

alerta
Fome ameaça 20 milhões de pessoas na África

BAMAKO. Enquanto a comunidade internacional começa a responder à severa crise alimentar no Níger, a Rede de Sistemas de Alerta Preventivo da Fome adverte que 20 milhões de pessoas correm risco de enfrentar fome extrema nos próximos meses em cerca de uma dúzia de países na África. O Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU disse que precisa ainda de US$ 98 milhões para evitar a tragédia até a primeira metade de 2006. Estão na lista da fome Níger, Moçambique, Chade, Sudão, Etiópia, Eritréia, Somália, Mali, Zimbábue, Zâmbia, Malauí, Suazilândia e Lesoto. Do jornal O Globo, 11/8..[+]

mídia
Imprensa africana - desaparecida em ação

Na maioria dos países da África, o desafio de repórteres, editores e leitores ultrapassa a luta pela liberdade de imprensa e envolve sua própria sobrevivência. Subjugados pelas várias ditaduras que a Nigéria já teve, por exemplo, diversos jornalistas foram obrigados a enfrentar um rito de passagem que muitos preferem esquecer: assédios rotineiros, espancamentos, torturas, acusações forjadas e condenações absurdamente longas. (...) Artigo de Wole Soyinka, escritor e Prêmio Nobel de Literatura de 1986. Do Jornal do Brasil, 7/8..[+]

sudão
Mortos em conflitos no Sudão já superam 130

Os conflitos em Cartum, capital do Sudão, que ontem completaram quatro dias, já deixaram mais de 130 mortos. O estopim da violência foi a morte do vice-presidente do país, John Garang, num desastre de helicóptero no último sábado. Garang era o líder da população do sul, de etnia africana, que disputa o poder no país com os sudaneses do norte, de etnia árabe. Um acordo de paz entre as partes dividiu a administração no país, cujo presidente representa as forças do norte. Com a morte de Garang, os sulistas entraram em atrito com os nortistas. Após três dias de intensos confrontos, Cartum amanheceu ontem calma, mas o medo permanecia, segundo testemunhas. Da Folha de S. Paulo, 5/8/2005

Cruz Vermelha: 84 pessoas morreram em distúrbios

CARTUM. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha estimou, nesta quarta (3/8), em pelo menos 84 o número de sudaneses mortos nos confrontos registrados após a morte do vice-presidente do país, John Garang. Os responsáveis pela organização internacional humanitária presentes em Cartum afirmaram que os corpos estão no necrotério do principal hospital da capital, aonde começaram a chegar na segunda-feira, data de eclosão dos distúrbios em decorrência da morte de Garang. Da Agência EFE.

lei islâmica
Nigéria segrega transporte

KANO. A cidade de Kano (Norte), criou uma frota de transporte público no qual homens e mulheres viajarão separados, de forma que a população muçulmana possa seguir a sharia, uma lei islâmica. Milhares de pessoas foram ao estádio local ver microônibus só para mulheres e de três rodas e mototáxis para homens, que só podem levar pessoas do mesmo sexo a cada viagem. Do Jornal do Brasil, 27/7..[+]

solidariedade
"Sabemos improvisar e temos formação técnica igual ou melhor que médicos estrangeiros"

Antonio Venturieri, médico brasileiro que está em sua primeira missão com MSF, fala sobre o trabalho humanitário. Ele lembra que os médicos que já trabalharam no SUS têm mais facilidade de se adaptar às estruturas precárias de hospitais na África. Reportagem publicada no site do Médicos Sem Fronteiras, em 26/7/2005.

angola
Quando salvar vidas parece ser uma atividade cruel

Profissionais da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) relatam como foi doloroso tomar medidas, muitas vezes cruéis, para conter o avanço da epidemia de Marburg, que agora parece estar estabilizada. MSF suspendeu a intervenção de emergência e já repassou suas atividades. Reportagem publicada no site do Médicos Sem Fronteiras, em 14/7/2005.

reivindicação
Khadafi: esmola não

SYRTE, Líbia. O chefe de estado líbio, Muammar Kadhafi, presidente da União Africana (UA), convocou seus colegas a ficarem unidos e a manter seu orgulho. "Implorar não vai fazer o futuro da África, isso cria um abismo maior entre os grandes e os pequenos. A unidade é o único caminho para enfrentar os problemas. Não podemos ficar mendigando". O apelo foi feito ontem durante reunião da UA em Syrte, Norte da Líbia. Participam 40 representantes de países africanos, que encerram os trabalhos amanhã, dia da abertura da reunião do G8. O tema é a representação do continente na ONU - a UA pleiteia duas vagas permanentes com direito de veto no Conselho de Segurança e cinco não permanentes. Do Jornal do Brasil, 5/7..[+]

zimbábue
Terra arrasada no Zimbábue

HARARE. O Zimbábue está sofrendo uma epidemia de fome às escondidas e uma enviada especial da ONU chegou anteontem ao país, onde há um nexo mortal entre a falta de comida e o despovoamento das cidades que está mandando dezenas de milhares para uma morte silenciosa nas áreas rurais. Um mês após o início da brutal campanha do presidente Robert Mugabe de demolição e deslocamento — que custou a casa e o meio de vida a pelo menos 400 mil pessoas — começa a emergir a escala do desastre. Do Independent, no jornal O Globo, 28/6..[+]

“Prendam Mugabe!”

O arcebispo católico da cidade de Bulawayo, no Zimbábue, disse que a ONU deveria prender e julgar o ditador zimbabuano, Robert Mugabe. Monsenhor Pius Ncube advertiu para um massacre em potencial que pode estar a caminho de ocorrer no país. Mugabe embarcou num programa de erradicação de favelas nas cidades e está arrasando as casas dos moradores. Segundo as ONGs de direitos humanos, 120 mil pessoas já foram expulsas. Ncube fala em mais de um milhão. Do jornal O Globo, 25/6

sudão
Jornalistas são detidos

CARTUM. A polícia do Sudão deteve ontem três jornalistas originários do sul do país, segundo denúncia feita pelos próprios repórteres. Os jornalistas detidos são Angelo Wello, Joseph Aligo e Charles Luganya, do semanário Post Juba, de Cartum. “Fomos detidos porque o governo sudanês afirma que nossa revista – a única em língua inglesa – não está registrada. Isso é mentira, já que está circulando há tempos sem nenhum problema”, destacou o jornalista. Autoridades sudanesas evitaram fazer qualquer comentário sobre o assunto. Da Gazeta do Povo (PR) com EFE, 23/6..[+]

16 de junho
Dia da Criança Africana: As crianças são nosso futuro – Protejam-nas!

Em todo o mundo, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) enfrenta um complexo problema: o fracasso das partes envolvidas num conflito em distinguir combatentes de civis, especialmente crianças. Muito freqüentemente, as crianças são convertidas deliberadamente em alvos ou têm sua infância ameaçada ao serem separadas de suas famílias ou recrutadas por grupos ou forças armadas. Estas violações ocorrem não só contrariando o Direito Internacional Humanitário, mas também normas e tradições consuetudinárias. (...) Leia na página do CICV, em junho de 2005.

sudão
Outro membro do MSF é preso

CARTUM. O governo sudanês prendeu outro membro do Médicos Sem Fronteira, devido a um relatório sobre estupros na região de Darfur, e intimidou o intérprete de Kofi Annan quando o secretário-geral da ONU visitou a região. As acusações foram feitas pelo principal enviado das Nações Unidas no Sudão, Jan Pronk. Na segunda (30/5), o país deteve o diretor do MSF, Paul Foreman. Ontem (2/6), foi preso Vince Hoedt. O grupo publicou em março um relatório detalhado sobre 500 casos de estupros ocorridos em um período de quatro meses e meio em Darfur, região onde há conflitos armados desde o começo de 2003. Do Jornal do Brasil, 3/6..[+]

artigo
Poderia ser no Brasil

A participação de países africanos nos fóruns internacionais hoje é muito mais expressiva do que há uma década atrás, mais ainda não os colocam em posição favorável ao desenvolvimento macroeconômico. A grande variedade de conflitos políticos e de etnias atrasaram o processo de globalização. As variedades de matérias primas de exploração são imensas e mesmo assim consórcios internacionais são abertos para exploração em solo nativo. Por Mario Mendes Jr., maio de 2005..[+]

sudão
Kofi Annan visita campo de refugiados

Milhares de sudaneses saudaram ontem o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, e visita a um campo com 110 mil refugiados em Darfur, no Sudão, país massacrado por uma guerra civil. Annan ouviu de mulheres violentadas — mais de 500 nos últimos meses — o relato de suas histórias dramáticas, enquanto homens erguiam cartazes com dizeres “Buscamos liberdade e justiça”. Do jornal O Globo, 29/5..[+]

mídia
Censura cala mídia na Tunísia, sede de cúpula da informação

TÚNIS. A política de censura da Tunísia é tão rigorosa que um repórter pode ter problemas só por escrever sobre o preço da cebola, numa estratégia que conseguiu acabar com a imprensa crítica, afirma o sindicato dos jornalistas do país. O governo da Tunísia, localizada no norte da África, às margens do Mediterrâneo, está sendo pressionado por entidades nacionais e estrangeiras de defesa dos direitos humanos para amenizar o controle sobre a imprensa e comprovar que o país merece ser a sede da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação, patrocinada pela ONU e programada para acontecer em novembro. Da Reuters, 2/5..[+]

angola
Brasil e Angola firmam amanhã três acordos de cooperação

Os governos brasileiro e angolano firmam, amanhã (3/5), três acordos de cooperação nas áreas de geologia e mineração, administração pública, sanitária. A cerimônia de assinatura será durante encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o presidente angolano, José Eduardo dos Santos, que está no país em visita oficial de dois dias. Da Agência Brasil, 2/5..[+]

camarões
Lula convoca Camarões a lutar contra ricos

Recebido ontem à tarde por milhares de pessoas nas ruas de Iaundê (capital de Camarões), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou o colega camaronês Paul Biya, no cargo desde 1982, a "lutar" contra os "pesados" subsídios e as medidas protecionistas dos países ricos."Precisamos mudar as relações de força no mundo. Não podemos ser observadores passivos de decisões que afetam diretamente o nosso destino. (...) Juntos, temos de lutar pela eliminação dos pesados subsídios e de outras medidas protecionistas praticadas pelos países ricos". Da Folha de S. Paulo, 11/4..[+]

vozes da áfrica
Cultura africana vai aportar no Brasil

Os livros e músicas brasileiras são bastante divulgados nos países africanos de língua portuguesa, mas a cultura da África ainda é pouco conhecida por aqui, apesar de Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe terem um vasto repertório cultural em diversos ramos da arte. Divulgar essas culturas é a missão do projeto Vozes da África, que está trazendo autores africanos de língua portuguesa para visitar o Brasil. O primeiro deles, José Eduardo Agualusa, de Angola, já chegou ao país, onde fica até 20 de abril. Do PNUD Brasil, 7/4..[+]

sudão
Milhares vão às ruas contra a ONU

CARTUM. Milhares de sudaneses se reuniram ontem, em Cartum, para protestar contra a resolução do Conselho de Segurança da ONU que permite que os acusados de crimes em Darfur, no Oeste do país, sejam julgados pelo Tribunal Penal Internacional (TPI). No protesto - convocado por várias organizações sociais e sindicatos, sob o lema ''A Marcha da Ira'' -, os manifestantes entoaram gritos de ''morte aos EUA e à França'', países que patrocinaram a resolução. (...) A posição foi negociada em troca de um parágrafo da resolução que exclui a possibilidade de que nacionais de países que não assinaram o Estatuto de Roma (que dá origem ao TPI), como os Estados Unidos, sejam julgados pela corte. Do Jornal do Brasil, 6/4..[+]

Brasil: posição polêmica

Apesar dos 300 mil mortos e dos 2 milhões de deslocados internamente nos últimos 2 anos em Darfur, o que caracteriza a pior crise humanitária do planeta, o Brasil se absteve de apoiar a resolução do Conselho de Segurança da ONU que aprova o julgamento, no TPI, de acusados de crimes de guerra na região. Além dos EUA, as outras nações que seguiram a mesma posição foram China e Argélia. O Conselho é formado de 15 Estados-membros. Do Jornal do Brasil, 6/4..[+]

saúde
Febre misteriosa continua a se espalhar por Angola

LUANDA. Cientistas e médicos estão reunidos em Angola, tentando conter um surto da febre hemorrágica Marburg que já matou 146 pessoas. O vírus é um parente do Ebola, o mais letal conhecido. Trata-se do surto da doença que mais vítimas causou, segundo a revista britânica “New Scientist”. Os casos estão concentrados na província de Uige, no norte do país, mas as autoridades angolanas temem que o vírus se espalhe e chegue a Luanda, já que algumas das vítimas chegaram a fugir para a capital, antes de falecer. Do jornal O Globo, 5/4..[+]

descaso
Crises humanitárias esquecidas pelo Ocidente

LONDRES. Longe do noticiário, alguns países vivem as piores crises humanitárias do momento e seus povos morrem praticamente ignorados pelo resto do mundo. Os brutais conflitos em República Democrática do Congo (RDC), Uganda e Sudão já custaram milhares de vidas e são as maiores crises, segundo uma pesquisa que ouviu especialistas no assunto. A guerra na RDC, por exemplo, já matou muito mais pessoas do que as ondas gigantes do Oceano Índico, em dezembro. Mas poucas vezes o assunto extrapola o continente africano. "Esta é a pior crise humanitária desde o Holocausto — acredita John O’Shea, diretor-executivo da agência irlandesa Goal. — É o maior exemplo da desumanidade do homem". Do jornal O Globo, 3/4..[+]

exploração
Os escravos modernos da África

Está em qualquer livro de história que a abolição da escravidão só chegou à África mais de um século depois da proibição do tráfico negreiro, em 1850. No entanto, na região que compreende o Deserto do Saara, em que estão algumas das nações mais pobres do continente e do mundo, a liberdade existe apenas no papel. De acordo com estudos das Nações Unidas e investigações de ONGs como a Anti-Slavery International, com sede na capital britânica, a escravidão é prática comum em países como Níger e Mauritânia, não somente devido à exploração indiscriminada da força de trabalho, também comum a outras regiões do planeta, incluindo o Brasil. Mas principalmente por um sistema histórico de dominação com características feudais, em que a vida humana é, literalmente, propriedade privada. Do jornal O Globo, 27/3..[+]

nigéria
Sobre a Shell e a Texaco na África

As empresas petroleiras Shell e Chevron arrasaram o delta do Rio Niger. O escritor Ken Saro-Wiwa, do povo ogoni, da Nigéria, fez a denúncia em um livro publicado em 1992. O que a Shell e a Chevron têm feito a este povo, a suas terras, córregos e atmosfera chega ao nível do genocídio. A alma do povo ogoni está morrendo e eu sou sua testemunha. Três anos depois, no início de 1995, o gerente-geral da Shell na Nigéria, Naemeka Achebe, explicou assim o apoio de sua empresa à ditadura militar que existe no país: "para uma empresa comercial que se propõe a realizar investimentos, é necessário um ambiente de estabilidade. As ditaduras oferecem isso". Por Eduardo Galeano, março de 2005. [+]

sudão
Apatia desumana

''Uma menina e sua avó foram ao mercado. Quando voltavam para a casa, tiveram que correr dos Janjaweed (demônios sobre cavalos). A menina foi pega mas resistiu. Eles quebraram os dentes dela e a largaram na rua. Três dias depois a polícia veio até a nossa vila. Disseram que era uma região segura e que não havia necessidade de que nós tivéssemos armas. Eles revistaram tudo e levaram todas as nossas armas. Disseram para não termos medo. Na madrugada seguinte, os Janjaweed vieram até nossa vila. Colocaram fogo em todas as casas e mataram mulheres, homens e crianças.'' O depoimento é de um sudanês idoso da vila de Babarh, na parte Sul de Darfur, uma região do tamanho da França que vive a mais grave crise humanitária do planeta. Do Jornal do Brasil, 20/3..[+]

ONU conta 180 mil mortos em Darfur

NOVA YORK. O conflito em Darfur, no Sudão, provocou pelo menos 180 mil mortos nos últimos 18 meses. A conclusão é do secretário-geral adjunto da ONU para Assuntos Humanitários, Jan Egeland, que divulgou ontem o número, bem mais alto que os 70 mil que as Nações Unidas consideravam anteriormente. Egeland afirmou que a estimativa diz respeito às vítimas de doença e má nutrição e exclui as mortes causadas pela violência na região. Do Jornal do Brasil, 15/3..[+]

descaso
EUA atacam programas de combate à Aids

Uma proposta brasileira e mais de 500 mil usuários de drogas injetáveis no mundo todo são as novas vítimas do conservadorismo americano. Na 48ª sessão da Comissão de Narcóticos e Drogas das Nações Unidas, realizada de segunda à sexta-feira passada, em Viena, na Áustria, os Estados Unidos encabeçaram mais uma ''coalizão'' de três países que rejeitou a proposta feita pelo Brasil de incluir os programas de redução de danos no conceito de Saúde como um direito básico do cidadão. A aprovação, pelas regras da Comissão, exigia a unanimidade. Do Jornal do Brasil, 13/3..[+]

Isaac Bigio comenta

LONDRES, 9/3/2005. A AIDS é uma das piores armas de destruição em massa que assolam a humanidade. Calcula-se que, em duas décadas, entre 100 e 200 milhões de pessoas poderão morrer infectadas com o vírus HIV. A AIDS poderia acabar matando mais gente do que a última guerra mundial. A AIDS é muito mais letal do que qualquer ditador ou terrorista.

Os EUA vem investindo muito pouco na luta contra a doença, se comparado com o que foi gasto para bombardear o Iraque e o Afeganistão. Hoje, só um quinto da ajuda para as vítimas dessa praga tem como destino os países pobres (onde se concentra a grande maioria dos infectados).

A África, berço de nossa espécie, é o centro dessa peste. Se não for aliviada sua crescente miséria e o embargo no comércio mundial, a AIDS poderá transformar-se em seu “primeiro produto de exportação”. Lá, onde reside mais de 60% dos portadores do vírus HIV, só um de cada 50 pacientes recebe tratamento adequado. www.bigio.org

comércio
Brasil, Índia e África do Sul se unem em Conselho de Negócios

CIDADE DO CABO. Empresários do Brasil, África do Sul e Índia criaram nesta quinta-feira um Conselho de Negócios Trilateral – os três países já integram o G-3, para as negociações conjuntas. O encontro entre representantes das confederações de indústria e comércio dos três países ocorreu durante a 3ª Reunião do Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul, realizada na capital sul-africana. Da Agência Brasil, 10/3..[+]

mídia
Há liberdade de imprensa em São Tomé e Príncipe?

Segundo a Constituição são-tomense, este país defende o direito à liberdade de imprensa e o acesso à informação, no entanto muitos jornalistas estrangeiros queixam-se da falta de informação disponível e da dificuldade de acesso à mesma, enquanto os jornalistas nacionais por vezes temem represálias quando avançam com assuntos sensíveis. Não obstante, a liberdade de imprensa em São Tomé e Príncipe é aclamada como exemplar na África Ocidental. Do Jornalistas.com, 7/3/2005..[+]

repressão
Prisão de advogado causa revolta

TÚNIS. A detenção, na quarta-feira, do advogado tunisiano Mohamed Abbu - que criticara o convite feito ao primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, para assistir a uma cúpula internacional na Tunísia - gerou ontem denúncias da associação local de advogados em relação a represálias do governo, contra a oposição. Do Jornal do Brasil, 4/3..[+]

comércio
Amorim: fim de subsídios deve beneficiar África

Chanceler brasileiro defende, em visita ao Quênia, que fim dos subsídios norte-americanos ao algodão entre em vigor logo e beneficie também países africanos exportadores como Senegal, Benin e Mali. Da Agência Brasil, 4/3..[+]

somália
Tsunami pode ter desenterrado material radioativo

O Programa de Meio Ambiente da ONU (Unep) fez um alerta para a ocorrência de problemas de saúde pouco habituais em determinadas regiões da Somália decorrentes do tsunami que atingiu a costa leste da África e o sudeste da Ásia em dezembro. Um relatório do Unep afirma que as ondas gigantes que atingiram o litoral nordeste da Somália podem ter desenterrado materiais radioativos enterrados em contêineres ilegalmente ou outros tipos de lixo tóxico. Da BBC Brasil, 2/3..[+]

"Ajuda" externa
O Banco Mundial na África

Jeffrey Sachs, professor na Universidade Harvard, foi o arquiteto da “terapia de choque” aplicada na década de 80 pelo ministro da Economia boliviano Gonzalo Sánchez de Lozada, o Goni, que derrubou a hiperinflação e, de quebra, destruiu a economia formal do país baseada na mineração. Goni presidiria a Bolívia entre 1993 e 1997 e, novamente, de 2002 até revolta popular de outubro de 2003, quando renunciou e fugiu para os EUA. Sachs qualificou Goni como “um gênio” e “uma figura política brilhante”. A Bolívia reinventada pelos experimentos ultraliberais da dupla dinâmica é um caldeirão de turbulência política e exclusão social, no qual 70% da população vive abaixo da linha de pobreza. Por Demétrio Magnoli, 21/2/2005, no Clube Mundo..[+]

Uma em cada 12 crianças é explorada

Uma em cada 12 crianças do planeta enfrenta as piores formas de exploração no trabalho, revelou um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), divulgado ontem em Londres. ''Cerca de 180 milhões são submetidas a trabalhos perigosos, escravidão, recrutamento forçado no Exército, prostituição e outras atividades ilegais'', denunciou o documento, que classifica o trabalho infantil como uma cicatriz na consciência do mundo no século 21. O estudo aponta ainda que 97% das crianças exploradas se encontram nos países pobres ou em desenvolvimento. Só na África, onde a situação é mais grave, metade dos que tem entre cinco e 14 anos trabalha

Uganda, no centro do continente, serve de infeliz e clássico exemplo. O conflito que atinge há 19 anos a região Norte do país fez com que quase uma geração inteira de crianças tenha se perdido: mais de 20 mil foram forçadamente recrutadas a trabalhar para os guerrilheiros do Exército de Resistência dos Lordes (LRA, na sigla em inglês), estima a Unicef. Mas mesmo as que conseguiram escapar ou foram desmobilizadas estão em risco. Segundo denúncias publicadas na imprensa local, as crianças estão voltando para os campos de batalha, agora para lutar nas filas do Exército. Do Jornal do Brasil, 22/2..[+]

Conchas do passado

Cientistas norte-americanas utilizam fósseis de lesmas para descobrir como era o clima e o meio ambiente do norte da África há mais de 130 mil anos. Onde hoje é um deserto, havia uma savana cheia de animais. Da Agência Fapesp, 14/2..[+]

sudão
Estupro étnico destrói vidas na guerra do Sudão

Fatouma passa seus dias sob o teto de lona plástica de sua tenda, sentada em uma esteira de palha, olhando para a criatura que se contorce em seus braços. Ela examina repetidas vezes os dedos perfeitamente formados dos pés e mãos, e os minúsculos membros, ainda curvados na forma que assumiram após deixar seu ventre, cinco dias atrás, e agora envoltos em amuletos para espantar o mal. Tudo neste bebê, declarou a mãe de 16 anos, é perfeito. Quase tudo. "Ela é uma janjaweed", disse Fatouma suavemente, se referindo aos temíveis milicianos árabes que aterrorizam a região. "Quando as pessoas virem sua pele clara e seu cabelo suave, elas saberão que ela é janjaweed." Do New York Times, 11/2..[+]

ensino
“Não se ensina as coisas positivas do povo africano”

Pesquisadora da Faculdade de Educação da UnB, Glória Moura dá oficina no V Fórum Social Mundial e fala sobre povos e identidades do Brasil. Da redação, 30 de janeiro, 2005..[+]

Embrapa vai abrir base na África

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) terá até julho um escritório de transferência de tecnologias na cidade de Maputo, em Moçambique. Da Agência Fapesp, 19/1..[+]

Tropas da ONU continuam cometendo abusos sexuais no Congo

NAÇÕES UNIDAS. O abuso sexual de meninas por parte de tropas de paz da ONU na República Democrática do Congo é generalizado e contínuo, apesar das muitas acusações e investigações, disse na sexta-feira o órgão de fiscalização das Nações Unidas. Em 2004, as tropas de paz foram acusadas de estupros coletivos, assédio sexual e de subornar crianças de 12 ou 13 anos com ovos, leite e alguns poucos dólares para fazer sexo com elas atrás de arbustos ou sob árvores. O novo relatório do Escritório de Serviços de Supervisão Interna da ONU se concentra na situação de Bunia, região no leste do Congo onde houve intensos combates no começo deste ano. "Na nossa opinião o problema era e continua sendo disseminado", disse Barbara Dixon, funcionária do escritório que trabalho no relatório, em entrevista coletiva. "Encontramos uma resistência substancial dos comandantes do contingente." Da Reuters, 7/1..[+]

Lei aprovada no Zimbábue agride autonomia de ONGs

Projeto encaminhado pelo governo e votado no Parlamento bane o funcionamento de organizações internacionais que trabalham com governança e direitos humanos no país e proíbe o financiamento estrangeiros das mesmas. Legislação interfere nas eleições de março. Da Agência Carta Maior, 6/1..[+]

A tragédia esquecida da Somália

MOGADÍSCIO. Distante 4.500 quilômetros do epicentro do terremoto de domingo, a Somália não escapou, no entanto, da fúria das tsunamis. As ondas gigantes atravessaram o Oceano Índico e atingiram a costa africana, causando destruição na Somália, um país já devastado por anos de guerra civil. Do jornal O Globo, 1/1/2005..[+]

Analistas: África sofrerá com fim de cotas têxteis

PORT LOUIS (Ilhas Maurício), BRUXELAS e PEQUIM. Com o fim das cotas internacionais de produtos têxteis, a partir de amanhã, analistas estimam que os produtores africanos sejam os mais prejudicados. Durante 40 anos, Ilhas Maurício, Madagascar, Uganda e Lesoto tiveram acesso aos mercados ocidentais sem a imposição de tarifas ou cotas. Agora, terão de competir com países cujos custos são mais baixos, como China e Índia. "Um estudo feito pela OMC (Organização Mundial do Comércio) em setembro mostra que China e Índia vão abocanhar cerca de 80% do mercado global, e o restante terá de ser dividido pelos demais países do mundo", disse Narainduth Boodhoo, diretor de Tarifas da Divisão de Política Comercial de Maurício. Do jornal O Globo, 31/12/2004..[+]

Reflexões do pós-guerra angolano

Há alguns dias, viajei pelo continente Africano. E, mediante o que conhecemos de alguns países, o que mais me chamou a atenção foi Angola, um país enorme, com terra suficiente para alimentar algumas centenas de milhões de pessoas e onde supreendemente quase não existe exploração agrária em seu território, não devo deixar de dizer que o potencial de crescimento é muito grande e também muito viável. Por Mario Mendes Jr., 15 de dezembro, 2004.[+]

A sete chaves

Documentário investiga "As Origens da Aids" e insiste pergunta que atormenta por anos a ciência e a humanidade. Experiências com vacinas usando populações coloniais como cobaias podem explicar o HIV? .Do Outras Palavras, dezembro de 2004..[+]

A Nossa Nação Foi Humilhada

Jovens cabo-verdianos, o ano de 2004 está terminando. Falta pouco para comemorarmos a chegada de 2005. É a contagem regressiva para comemorar o trigésimo segundo aniversário da morte do nosso herói e três décadas da independência da pátria mãe. Por Lino Vaz Moniz, dezembro de 2004..[+]

Marrocos: Afinal, a verdade sobre os anos de chumbo

Pouco tempo antes de sua morte, o rei Hassan 2º (1961-1999) tinha criado, no Marrocos, uma entidade de arbitragem independente (de sigla em francês IAI), para indenizar as vítimas de desaparecimentos forçados e de detenções arbitrárias de responsabilidade dos serviços de segurança do Estado. Em continuidade, o rei Mohammed 6º fundou, em abril de 2004, a Eqüidade e Reconciliação (de sigla, também em francês, IER), órgão cuja missão é trabalhar com a herança dos dossiês da IAI, para estabelecer a verdade sobre as "violações flagrantes" dos direitos humanos cometidas entre 1956 e 1999 pelos "órgãos estatais", e indicar as reformas necessárias para impedir sua repetição. Em seis meses, a entidade já pôde apresentar alguns êxitos..Brasil de Fato, 23/12

Serra Leoa: Continua violação a mulheres e crianças

A violação de mulheres e crianças era uma prática sistemática durante a brutal guerra civil em Serra Leoa, tanto pelos rebeldes, como pelas forças do governo. Um acordo de paz pôs fim ao conflito, em janeiro de 2002, mas, não a esse crime. "As violações aumentaram de maneira assustadora desde o final da guerra civil há dois anos", disse Amie Tejan-Kellah, do Centro Arco-Íris, que dá assistência a mulheres vítimas de crimes sexuais. "Nosso centro atende centenas de casos nas províncias do leste do país, bem como no ocidente"...Brasil de Fato, 23/12

Serra Leoa: Guerra pelo diamante matou 75 mil

A guerra civil nesse país da África subsaariana começou em 1991, quando a Frente Unida Revolucionária (RUF), apoiada pela Libéria do então presidente Charles Taylor, lançou uma ofensiva para derrubar o governo e reter o controle das zonas produtoras de diamantes. O conflito deixou 75 mil mortos...Brasil de Fato, 23/12

Angola, seqüelas de uma guerra civil

Miséria e sofrimento foram heranças dos conflitos, que duraram 27 anos e mataram 300 mil pessoas em Angola..O Dia, 14/11

Chirac manda abater caças da Costa do Marfim

Dois aviões e um helicóptero da Costa do Marfim foram destruídos pela força aérea francesa por determinação do presidente Jacques Chirac. Foi uma resposta à ofensiva do país africano contra a base francesa em Boukaé. O conflito levou o Conselho de Segurança da ONU a convocar uma reunião de emergência...Correio Braziliense, 7/11

Neoliberalismo empobrece africanos

Especialista congolês analisa interferência destrutiva de modelos econômicos ocidentais..Brasil de Fato, 4/11

Moçambique assina acordo com Brasil para adotar programas de inserção social

Moçambique adotará dois programas brasileiros de inserção social, coordenados pelo ministério do Esporte, o Pintando a Liberdade e o Segundo Tempo. O acordo de parceria assinado entre os dois países hoje inclui a doação de 250 bolas, dois mil uniformes, mil pares de tênis e equipamentos para uma fábrica de bolas a ser instalada em Maputo, capital moçambicana...Agência Brasil, 3/11

De criança soldado na África a cantora na Europa

A eritréia Senait Mehari tem apenas 28 anos mas já escreveu sua autobiografia, “Feuerherz” (“Coração de fogo”), que será lançada na próxima semana em Berlim. Cantora pop que em 2003 participou do Festival da Canção Européia, ela tem uma história tão complexa quanto a do seu país de origem. Aos 5 anos, em vez de brincar de boneca, portava um fuzil Kalashnikov como soldado infantil dos guerrilheiros separatistas...O Globo, 17/10

Ambientalista africana é o Prêmio Nobel da Paz 2004

A queniana Wangari Maathai ganhou o Prêmio Nobel da Paz 2004 por seu trabalho em prol do desenvolvimento sustentável, da democracia e da paz no seu país. É a primeira vez que uma africana recebe o prêmio. A presidente da Fundação Gaia, Lara Lutzenberger, sediada em Porto Alegre, RS, esteve com Maathai no ultimo mês de junho, em Londres e comemora o fato: "Hoje, 8 de outubro de 2004, é um dia muito especial para todos nós da Fundação Gaia e para os ambientalistas do mundo todo". Wangari é idealizadora do Green Belt Movement e membro da ECN - Earth Community Network...EcoAgência, 10/10

Namíbia: alemães bancam reforma agrária

A Alemanha está disposta a financiar o processo de reforma agrária da Namíbia, país da África Austral que foi colônia alemã de 1890 a 1915. O anúncio, feito em agosto, vem na esteira da decisão tomada pelo governo da Namíbia, em fevereiro, de desapropriar grandes latifúndios pertencentes à minoria branca, a exemplo do que faz o Zimbábue, para distribuir terras aos 240 mil camponeses namibianos negros sem-terra...Brasil de Fato, 23/9

Serra Leoa no combate ao tráfico de diamantes

O tráfico de diamantes que alimentou a guerra civil em Serra Leoa foi detido nos aeroportos, mas continua nas porosas fronteiras terrestres. O processo enfrentado desde julho por membros da Frente Revolucionária Unida (RUF) por atrocidades cometidas durante o conflito faz lembrar ao mundo o custo em vidas do comércio ilegal de diamantes neste país da África Ocidental...Brasil de Fato, 23/9

Reunião sul-sul prepara fórum 2007

Representantes de movimentos sociais e instituições da sociedade civil de países da África e América do Sul reuniramse em Johannesburgo (África do Sul) entre 7 e 9 de setembro para debater e definir alternativas regionais à globalização. O fórum – Diálogo entre os Povos do Sul da África e da América do Sul ou projeto “People’s Dialogue” – teve como objetivo aprofundar relações entre os povos do eixo sul-sul (países do Mercosul e do sul da África), traçar uma agenda de cooperação, diálogo e parcerias entre organizações dos dois lados do Atlântico e começar a discutir a realização do Fórum Social Mundial 2007 (FSM-2007), que acontecerá na África...Brasil de Fato, 16/9

Brasil perdoa 95% da dívida de Moçambique

Os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e de Moçambique, Joaquim Alberto Chissano, assinaram na terça-feira (31) em Brasília um acordo em que o Brasil perdoa 95% da dívida do país africano — no valor de US$ 315 milhões...Diário Vermelho,.1/9

Eritreus pedem asilo no Sudão

Um grupo de 76 eritreus que estava sendo repatriado da Líbia invadiu a cabine do piloto e forçou o avião a mudar de curso e pousar em Cartum, capital do Sudão, onde eles pediram asilo político. A Eritréia proíbe que jovens deixem o país. Grupos de direitos humanos dizem que centenas de refugiados e pessoas em busca de asilo político foram repatriados à força para o país, onde muitos enfrentam tortura e prisão sem julgamento. O país nega as acusações...O Globo, 28/8

Africanos se ‘casam’ depois de mortos

Um homem do norte da África do Sul e sua namorada – morta por ele a tiros durante uma discussão antes dele se suicidar –, se “casarão” amanhã. A cerimônia póstuma foi preparada pela família para acontecer imediatamente antes do enterro. Familiares e amigos reconhecem que o relacionamento do casal era turbulento, mas querem lembrar dos dois como um casal feliz...O Dia, 28/8

Cresce cooperação e comércio Brasil-África

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem intensificando como nenhum outro as relações de cooperação e comércio com os países africanos, conforme anunciou ao tomar posse em janeiro de 2003. Exemplo disso é a recente reunião de um grupo de empresários brasileiros, no início de agosto, com o ministro do Desenvolvimento Industrial da República do Congo, Emile Mabonzo, na capital daquele país, Brazzaville, para tratar das oportunidades de investimento que o Congo oferece a empresas do Brasil...Brasil de Fato, 26/8

Poliomielite vira epidemia na África, afirma OMS

A poliomielite se alastrou para mais dois países africanos que estavam livres dessa doença, que provoca paralisia infantil, e já ameaça se transformar numa epidemia pela África ocidental e também pelo centro do continente. A denúncia foi feita nesta terça-feira (24/08) pela OMS, (Organização Mundial da Saúde). E há previsão de que a situação irá se agravar a partir do próximo mês; Na Nigéria, as líderanças religiosas chegaram a proibir a vacina..New York Times, 25/8

ONU condena massacre de 160 em Burundi

Organização chama de "bárbaro" ataque realizado por rebeldes da etnia hutu contra tutsis em campo de refugiados..Folha de S. Paulo, 16/8

Fundo nega verbas para Zimbábue combater Aids

A exclusão do Zimbábue dos benefícios do Fundo Mundial de Luta contra a Aids, a Tuberculose e a Malária foi criticada por ativistas, que não aceitam a interferência da política nos esforços para combater as epidemias. Representantes de diversas organizações civis africanas concordam que a necessidade de salvar vidas deve prevalecer sobre a controvérsia a respeito da legitimidade do governo do presidente Robert Mugabe. O Zimbábue é motivo de preocupação para a comunidade internacional, especialmente para a Grã-Bretanha, sua antiga potência colonial, desde que em 2000 Mugabe, de 79 anos, se apossou das terras de 4.500 agricultores brancos para entregá-las a camponeses da maioria negra...Brasil de Fato, 12/8

Gabão
Sugestão de pauta

A Vale do Rio Doce, que era estatal, dona de minérios estratégicos, foi privatizada por FHC. A Vale, que pertence a grupos transnacionais, quer tomar posse de uma das raras riquezas do Gabão, o manganês. O Gabão é um dos países mais pobres do mundo. A Vale do Rio Doce mandou para lá alguém que possa convencer o povo do Gabão a lhe entregar o manganês: Luiz Inácio Lula da Silva...Dioclécio Luz, Brasil de Fato, 12/8/2004

Fotógrafo brasileiro revela uma Angola inusitada através de parabólicas

O fotógrafo pernambucano Sérgio Guerra, que mora em Angola há seis anos, desde que a sua empresa de comunicação implantou um núcleo no país, acaba de lançar o seu quarto livro sobre o país africano, intitulado "Parangolá"...Jornal Digital, 6/8

Sudão evacua campo de refugiados horas antes da visita de Kofi Annan

Medida irrita secretário-geral, que ameaça acionar o Conselho de Segurança..O Globo, 3/7

Relações Zâmbia-Cuba

Num editorial intitulado “aprendendo com Cuba”, o jornal The Post, um dos principais da Zâmbia, disse no dia 23 de junho que a Zâmbia tem muito o que aprender com os “irmãos e irmãs socialistas”, e louvou o fortalecimento dos laços entre Cuba e Zâmbia. “Zâmbia, um país dotado de abundantes recursos naturais, encontra-se hoje tristemente entre as nações mais pobres do mundo. Já os nossos companheiros socialista, depois de 40 anos de um bloqueio econômico sem sentido imposto pelos Estados Unidos, elevaram-se às alturas no que se refere à escala social. Nós realmente precisamos dessa cooperação! (com Cuba)”. (...) “O que temos a mostrar em nosso compromisso com as políticas do FMI e do Banco Mundial?”, questionava a publicação. “Sentimo-nos grandemente encorajados pela postura firme e inabalável de Cuba contra as políticas neoliberais que estão sendo impostas aos países em desenvolvimento pelo FMI e pelo Banco Mundial em nome da liberalização econômica, dos programas de ajuste estrutural e da globalização.”..Brasil de Fato, 1/7

Relações Namíbia-Cuba

Em visita oficial de três dias a Cuba, o presidente da Namíbia, Sam Nujoma, foi recebido pelo presidente Fidel Castro, no dia 23 de junho. Em sua quinta viagem ao país da América Central, Nujoma participou da inauguração da escola Solidariedade com a Namíbia. Cuba e Namíbia firmaram relações diplomáticas em março de 1990. A cooperação entre os dois países se dá nas áreas de saúde, agricultura, educação, pecuária, construção civil e esportes.

Nujoma estava acompanhado dos ministros das Relações Exteriores, da Terra e Reforma Agrária e da Saúde. Mais de 500 colaboradores cubanos já prestaram serviço na Namíbia, principalmente na área da saúde. Cerca de 1270 estudantes namíbios já se formaram em Cuba, nos níveis médio e superior...Brasil de Fato, 1/7

Relações Zimbábue-Cuba

A intervenção do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, foi uma das mais aplaudidas da IV Reunião de Chefes de Estado e Governo do Grupo de Nações da África, do Caribe e do Pacífico (ACP), no dia 24 de junho, em Maputo, Moçambique. Com relação à política da União Européia (UE) contra seu país, em particular aquela adotada pelo Reino Unido, alegou que é ofensivo e repugnante dizer que no Zimbábue não existe liberdade e que não são respeitados os direitos humanos.

Mugabe condenou também as sanções impostas pelo governo dos Estado Unidos a Cuba, que descreveu como “um país que decidiu fazer o melhor por seu povo e que beneficia com sua generosidade 65 países do mundo”. Deu como exemplo os 200 médicos cubanos que trabalham no Zimbábue e tantos outros na África do Sul...Brasil de Fato, 1/7

Zâmbia: uma nação arruinada pelo FMI

A intervenção do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI) arruinou a economia da Zâmbia, que já chegou a ser um dos países mais ricos da África Subsaariana, afirmou o Movimento Mundial de Desenvolvimento (WDM, sigla em inglês) em recente estudo...Brasil de Fato, 1/7

Corte Penal Internacional investiga crimes cometidos no Congo

Entidade dá início às suas atividades em um país africano onde "reina a impunidade"...Le Monde Diplomatique, 24/06

Líder explica revolução no Zimbábue

Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, durante o Encontro da Via Campesina em Itaici, interior de São Paulo, no dia 17 de junho, Rob Sacco, coordenador da entidade Uso Sustentável e Participativo da Terra e Ambiente (sigla em inglês, Pelum), do Zimbábue, falou da verdadeira revolução agrária que está ocorrendo em seu país...Brasil de Fato, 24/06

Guiné: Brasil como referência

Representantes do governo da Guiné visitam a FAPESP em busca de alternativas de cooperação que possibilitem o desenvolvimento científico e tecnológico do país africano..Agência Fapesp, 18/6

África: A inescrupulosa luta pelo ouro verde africano

Depois de séculos de exploração do continente negro, nos quais os países centrais apoderaram-se do ouro, do marfim e da mão-de-obra escrava a preços irrisórios, hoje as empresas multinacionais tentam roubar o ouro verde da África, a imensa riqueza ecológica do continente, por meio das patentes...Brasil de Fato, 17/06

Árabes já mataram 320 mil negros no Sudão apenas em 2004

Governo dos EUA ainda hesita se deve classificar a perseguição étnica como genocídio...New York Times, 16/06

ONGs querem perdão à dívida dos pobres
Antes do comercial, o social. Essa é a bandeira empunhada pelo Fórum da Sociedade Civil, que começa hoje, em São Paulo, e vai até a próxima quinta-feira. O evento acontece simultaneamente à 11ª Unctad (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) e reúne cerca de 200 ONGs (organizações não-governamentais) e movimentos da sociedade civil de todos os continentes...Folha de S. Paulo, 11/06

Zimbábue quer estatizar todas as terras do país
O Zimbábue planeja nacionalizar todas as terras do país e oferecer em troca aos fazendeiros um contrato de arrendamento, declarou ontem o ministro da Reforma Agrária John Nkomo. Um grande grupo comercial do ramo agrícola disse que a medida é uma continuação da ação do governo para desapropriar terras de fazendeiros brancos e pode afastar investimentos para a agricultura comercial após anos de escassez de alimentos...Folha de S. Paulo, 09/06

EUA e farmacêuticas têm pacto contra remédio barato, diz OMS
Órgão aponta conluio para impor acordos em que países pobres abram mão de direitos...El País, 08/06

Ativistas condenam Zimbábue em direitos humanos

Ativistas de direitos humanos do Zimbábue, presentes a uma conferência internacional na capital de Botsuana, Gaborone, em março, exigiram dos governos africanos uma condenação enérgica da violação dos direitos humanos no Zimbábue. A reunião bienal da Aliança Mundial pela Participação Cidadã (Civicus) reuniu centenas de representantes de organizações de todo o mundo sob o lema “Atuar juntos por um mundo justo”...Brasil de Fato, 03/06

Namíbia desapropria terras de brancos

O roubo de petróleo bruto na A exemplo de seu vizinho Zimbábue, a Namíbia, país da África Austral, resolveu fazer reforma agrária desapropriando grandes latifúndios pertencentes à minoria branca. Em abril, o governo namibiano pediu ao Zimbábue o envio de peritos de gestão fundiária para preparar a operação de desapropriação dessas terras, segundo a agência de notícias africana Panareis...Brasil de Fato, 03/06

Multidões atacam instalações da ONU em 3 cidades do Congo..Reuters, 03/06

Sudão: fim da guerra civil próximo
Acordo entre governo e rebeldes pode terminar conflito que dura 21 anos...O Globo, 28/05

Nigéria: Roubo de petróleo e desemprego agravam crise

O roubo de petróleo bruto na Nigéria soma 50 mil barris por dia e custou a esse país africano 151 milhões de dólares no primeiro trimestre de 2003, dizem fontes oficiais...Brasil de Fato, 27/05

Nigéria: Escritor pede renúncia de presidente

Depois de ser preso pela polícia nigeriana, no dia 15 de maio, o escritor, poeta e dramaturgo Wole Soyinka, ganhador do Prêmio Nobel da Literatura de 1986, pediu a renúncia do presidente Olusegun Obasanjo...Brasil de Fato, 27/05

Acordo de paz no Sudão chega após 20 anos de guerra

O governo e rebeldes do Sudão assinaram um acordo de paz que tem o objetivo de acabar com uma guerra civil que já dura mais de 20 anos no sul do país. O acordo apresenta soluções para a questão da divisão de poderes em um governo interino, que incluirá representantes de ambos os lados. Da BBC Brasil, 27/5/2004..[+]

Novo surto de ebola já matou quatro no Sudão

Equipe de especialistas internacionais está investigando outros 19 casos suspeitos...O Globo, 25/05

Mundo ignora tragédia da guerra no Sudão

A mais grave crise humanitária do mundo atual se desenrola no Sudão, silenciosamente, sem que a comunidade internacional tome conhecimento ou intervenha. O alerta foi feito esta semana pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela ONG Médicos Sem Fronteiras. Em menos de um mês, o número de pessoas atingidas pelos conflitos que assolam o país africano praticamente dobrou, passando para dois milhões. No vizinho Chade, campos de refugiados estão abarrotados de sudaneses que tentam escapar da guerra civil, do ataque de milícias, de incêndios criminosos, da fome...O Globo, 23/5

moçambique
Missionária denuncia máfia internacional de órgãos

A missionária brasileira Maria Elilda dos Santos denunciou nesta quinta-feira à CPI do Tráfico de Órgãos a existência de uma máfia em Moçambique, país africano, comandada por políticos, empresários e diplomatas daquele país. Segundo a religiosa, que mora em Nampula, a quadrilha foi responsável pelo desaparecimento de cerca de 50 crianças, desde o início da década de 90 até 2003. Todos os jovens teriam sido assassinados e tiveram os órgãos vendidos no mercado negro do tráfico. A missionária, que foi voluntária da Pastoral do Menor, em São Paulo, também explicou à comissão como agem algumas das quadrilhas que atuam no Brasil. Da Agência Câmara, 20/5/2004..[+]

Vocalista do U2 pede ao Ocidente para lutar pela África

O roqueiro e ativista político irlandês Bono convocou os governos ocidentais, na segunda-feira, a combater a miséria, a Aids e a dívida externa da África, dizendo que isso custará menos do que combater o terrorismo...Reuters, 18/05

Conflito no Sudão causa 1 milhão de refugiados, diz ONU

Moradores negros de Darfur (oeste do país) relatam invasão de vilas por milicianos árabes, apoiados pelo governo...Folha de S. Paulo, 09/05

Violência sectária deixa 67 mortos na Nigéria

Ao menos 67 pessoas morreram em um novo confronto entre tribos de cristãos e muçulmanos na região central da Nigéria, disse a polícia local. Os embates ocorreram domingo, quando o povoado de Yelwa Shendam, de maioria muçulmana, foi atacado por membros da tribo Tarok (cristã). A polícia havia recuperado ontem 67 corpos, e a busca prosseguia. Na semana passada, segundo a Cruz Vemelha nigeriana, mais de cem pessoas morreram em confrontos semelhantes na mesma região...Folha de S. Paulo, 04/05

Costa do Marfim: ONU diz que massacre de 120 foi obra do governo
Relatório das ONU afirma que as pelo menos 120 pessoas que morreram em 25 e 26 de março na Costa do Marfim, quando participavam de um protesto da oposição, foram assassinadas por forças de segurança e milícias pró-governo. Segundo a ONU, a violência em Abidjan, a principal cidade do país, foi "cuidadosamente planejada (...) sob a direção e responsabilidade das mais altas autoridades". O presidente Laurent Gbagbo diz que foram mortas 37 pessoas na repressão a um golpe de Estado...Folha de S. Paulo, 04/05

Guerra étnica entre árabes e negros devasta Sudão
Governo dá apoio velado a milícias muçulmanas que arrasam vilas de africanos...New York Times, 04/05

ONG americana relata massacre de 136 no Sudão
A organização de direitos humanos americana Human Rights Watch (HRW) denunciou ontem a cumplicidade do governo do Sudão no massacre de 136 civis na região de Darfur, no oeste do país. A matança aconteceu em 5 de março. O governo sudanês nada comentou. “Em operação conjunta, forças do governo e milícias árabes detiveram 136 homens africanos, que milícias mataram horas depois”, disse a HRW, em comunicado entregue à Comissão de Direitos Humanos da ONU, reunida ontem em Genebra...O Globo, 24/04

Unicef cobra ação contra tráfico de pessoas na África
Relatório diz que problema é comum na região e crianças são maiores vítimas...BBC Brasil, 23/04

A incógnita da Argélia

Uma das maiores nações islâmicas escolhe seu presidente, nesta quinta-feira, ameaçada pelo fundamentalismo e golpes militares...Outras Palavras, 8/4/2004

África do Sul: Na economia, a mesma agenda
Segunda matéria da série sobre África do Sul revela: país segue a receita dos outros “emergentes”, sempre em busca da bênção do FMI e Banco Mundial...Outras Palavras, 19/03

África: enfim a igualdade?

Outras Palavras, 3.mar.2004. Dez anos após o fim do apartheid, Anselmo Massad, da Revista Fórum, viajou à África do Sul. Publicamos, a partir de hoje, seu relato sobre o país de Nelson Mandela.

TPI vai investigar massacre em Uganda..24/02

Massacre em Uganda
Rebeldes do Exército de Resistência do Senhor (ERS), que há 18 anos travam uma sangrenta guerrilha no norte de Uganda, atacaram na tarde de sábado um campo de refugiados e mataram pelo menos 192 pessoas. Muitas vítimas foram torturadas, mutiladas ou queimadas vivas. Há centenas de feridos. Este foi o mais violento ataque da guerrilha, conhecida por sua brutalidade, nos últimos anos...O Globo, 23/02

Congo: Detenidos en el tiempo

AIS, 19 de ebrero, 2004. Respiré una vez para fuera y diez para mis adentros. No había duda de que había vuelto a África, y no sólo porque desde el avión hubiera visto la zona de los Grandes Lagos, que parecen interminables borrones de azul sobre la tierra.

Human Rights denuncia sumiço de mais de US$ 4 bi em Angola.[14/1/2004]

Guerra ameaça recomeçar entre a Etiópia e a Eritréia.[13/1/2004]

Cruz Vermelha de Angola apoiou mais de dois milhões de necessitados.[2/1/2004]

Human Rights Watch chama a atenção para o drama do Burundi

Jornal Digital, 22.dez.2003. As tropas do Burundi e os rebeldes que as combatem voltaram a cometer durante o último ano graves crimes de guerra, incluindo o assassínio e a violação de civis, disse este domingo a organização Human Rights Watch (HRW), com sede em Nova Iorque. O recente acordo de paz que levou até ao Governo de Bujumbura figuras das Forças de Defesa da Democracia (FDD), não deveria ter concedido imunidade pela prática de tais crimes, considerou a HRW, num relatório de 63 páginas.

Fome pode afetar 23 países da África, alerta FAO

BBC Brasil, 8 de dezembro, 2003. Vinte e três países africanos devem enfrentar escassez de alimentos nos próximos meses, apesar da boa colheita esperada em outras nações do continente, alertou o Fundo das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentos (FAO).

Unicef: 40 milhões de crianças ficarão órfãs na África até 2010

26 de novembro, 2003. Para a agência da ONU, quantidade assombrosa de órfãos é só ''o começo de uma crise de proporções gigantescas'' e ''o pior ainda está por vir''.

Africanas têm 175 mais chances de morrer no parto

BBC Brasil, 20 de outubro, 2003. Mulheres africanas têm 175 mais chances de morrer durante o parto do que as mulheres dos países desenvolvidos, segundo um novo relatório de três agências da ONU (Organização das Nações Unidas). No geral, a probabilidade de uma mulher africana morrer no parto é de uma morte para cada 16 partos, contra uma média de uma para 2,8 mil em países desenvolvidos. No Brasil, as chances são de uma para 140.

No Congo, mais um drama africano

Nas últimas semanas, a imprensa brasileira deu algum destaque aos conflitos internos que vinham ocorrendo na Libéria, país localizado na porção ocidental do continente africano. Mais de 200 pessoas já haviam morrido nos combates verificados em Monróvia, a capital. Era mais um capítulo do interminável drama que, há mais de uma década atinge o país. Todavia, esse não é o único conflito interno que atinge países africanos. Desde que obtiveram sua independência – a maioria dos países alcançou essa condição a pouco mais de quarenta anos -, foram poucos os Estados do continente que não passaram por essa situação. Atualmente, além da Libéria, outros países africanos estão envolvidos neste tipo de conflito, um deles, a República Democrática do Congo (RDC), o antigo Zaire. Texto de Nelson Bacic Olic, para a Revista Pangea, 30/6/2003..[+]


Consciência.Net
Especiais
Congo
Ruanda
.

Noticiário da República Democrática do Congo (FRA).
.
Giro Pelo Mundo
Fontes freqüentes
Arquivo 2002-2003
.
Pela primeira vez na história, temos o dinheiro e o know-how tecnológico necessários para resolver os problemas da África. Mas será que temos a vontade?
Bono Vox
, cantor irlandês, em discurso proferido diante dos recém-formados da Universidade da Pensilvânia, em 2004