Movimento Fé e Política condena golpe “patrocinado por corruptos”

Representantes do Movimento Nacional Fé e Política aprovaram, neste fim de semana, um documento condenando energicamente o golpe de Estado em curso no Brasil. O movimento reuniu centenas de militantes de movimentos sociais, de pastorais, sociólogos, cientistas políticos, sindicalistas e teólogos, em Campina Grande, entre 22 e 24 de abril.

De acordo com o documento, o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff é um golpe, “executado por forças antidemocráticas e antipopulares”. Segundo o texto, a votação na Câmara dos Deputados, no último dia 17, deixou claro que se trata de uma “fraude patrocinada por pessoas corruptas e pela grande mídia, porque ficou evidente que não havia crime de responsabilidade”.

No vídeo abaixo, a leitura do documento é feita por Ivo Lesbaupin, sociólogo, professor da escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, membro da Equipe de Assessoria do Instituto de Estudos da Religião e da coordenação geral do Movimento Nacional de Fé e Política (MF&P) .

O movimento “foi criado em junho de 1989, durante um encontro de pessoas unidas pela fé cristã engajada nas lutas populares, com o objetivo de alimentar a dimensão ética e espiritual que deve animar a atividade política”. Reuniu pessoas ligadas às Comunidades Eclesiais de Base (CEB) e à teologia da libertação.

O MF&P “luta pela superação do capitalismo por meio da construção de um sistema sócio-econômico solidário e respeitoso da vida do Planeta”. Ao longo de sua existência, promoveu encontros de estudo, dias de espiritualidade e publicou quinze Cadernos de Fé e Política. Dez anos após sua criação, atento à nova conjuntura dos movimentos sociais, o Movimento passou a promover grandes encontros nacionais.

O 10º encontro, realizado no último fim de semana, foi promovido em parceria entre o Movimento Nacional de Fé e Política, a Universidade Federal de Campina Grande, a Diocese local e a Cáritas do Brasil.

Fonte: Vermelho
http://www.vermelho.org.br/noticia/279846-1