Mensagem do Papa Francisco

“Ângelus,” dia 07.07.2019

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

A página do evangelho de hoje apresenta Jesus que envia em missão 72 discípulos, juntamente com os doze apóstolos. O número 72 indica provavelmente todas as nações. De fato, no livro do Gênesis, são mencionadas 72 diferentes nações. Desta forma, este envio prefigura a missão da Igreja, de anunciar o Evangelho a todos os povos. Àqueles discípulos, Jesus diz: “A seara é vasta, mas são poucos os operários! Orem, portanto, ao Senhor da seara para que envie operários para a Sua messe!”

Este pedido de Jesus é sempre válido. Sempre devemos orar ao Senhor da messe, isto é, a Deus Pai, para que mande operários para trabalharem no seu campo, que é o mundo. E cada um de nós deve fazê-lo de coração aberto, com uma atitude missionária. Nossa oração não deve limitar-se apenas às nossas necessidades, às nossas carências: uma oração é verdadeiramente cristã, se também tiver uma dimensão universal.

Ao enviar os 72 discípulos, Jesus dá-lhes instruções precisas, que expressam as características da missão. A primeira já vimos: “Orem”; a segunda: “Vão!”; em seguida, “Não levem bolsa nem sacola…”; digam: “Paz à esta casa!”, permaneçam naquela casa… Não fiquem passando de uma casa para outra; curem os doentes e digam-lhes: “o Reino de Deus está perto de vocês!”;  e, se não os acolherem, saiam em direção às praças e vão embora. Tais imperativos indicam que a missão baseia-se na oração, que é itinerante: não fica parada, é itinerante; que requer afastamento e pobreza; que produz paz e cura, sinais da proximidade do Reino de Deus; que não é proselitismo mas é anúncio e testemunho; e que também requer a franqueza e a liberdade evangélica de sair mostrando a responsabilidade de haver espalhado a mensagem da salvação, mas sem condenações nem maldições.

Se for vivida nestes termos, a missão da Igreja será caracterizada pela alegria. Como é que esta passagem termina? “Os 72 voltaram cheios de alegria. Não se trata de uma alegria efêmera, que se baseia no sucesso da missão; ao contrário, é uma alegria radicada na promessa que, diz Jesus, “os nomes de vocês estão escritos no céu.” Com esta expressão, Ele entende a alegria interior, a alegria indestrutível, que nasce da consciência de sermos chamados por Deus a seguirmos o Seu Filho. Isto é, a alegria de sermos Seus discípulos. Hoje, por exemplo, cada um de nós, presentes nesta praça, pode pensar no nome que recebeu no dia do Batismo: esse nome está “escrito no céu“, no coração de Deus Pai. E é a alegria deste dom que faz de todo discípulo um missionário, alguém que caminha na companhia do Senhor Jesus, que aprende Dele a doar-se sem reserva aos outros, livres de si próprio e dos próprios bens.

Juntos, invoquemos a proteção materna de Maria Santíssima, para que sustente em toda parte a missão dos discípulos de Cristo; a missão de anunciar a todos que Deus nos ama, nos quer salvar e nos chama a fazermos parte do seu Reino.

Trad: AJFC

Digitação: EAFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *