Mensagem do Papa Francisco

“Angelus”, dia 26.08.2018 (Desde a Irlanda)

Good Morning!

Caros irmãos e irmãs!

Estou contente por estar aqui com vocês. Estou contente de estar com vocês na Casa de Nossa Senhora. E dou graças a Deus pela oportunidade di visitar, no contexto do Encontro Mundial das Famílias, este Santuário tão caro ao povo irlandês. Agradeço ao Arcebispo Neary e ao Reitor, Padre Gibbons, por suas cordiais palavras de boas-vindas.

Na Capela da Aparição, confiei à amorosa intercessão de Nossa Senhora todas as família do mundo e, de modo especial, suas famílias, as famílias irlandesas. Maria, nossa Mãe, conhece as alegrias e as fadigas que são sentidas em todo lar, guardando-as em seu Coração imaculado, as apresenta com amor ao amor do seu Filho.

Em lembrança de minha visita, trouxe um Rosário como dom. Sei quanto é importante, neste país, a tradição do Rosário em família. Eu lhes recomendo: continuem esta tradição. Quantos corações de pães, mães e filhos alcançaram consolação e força no decorrer dos anos, meditando sobre a participação de Nossa Senhora nos mistérios gozosos, luminosos, dolorosos e gloriosos da vida de Cristo.

Maria é mãe. Maria é nossa Mãe, é também a Mãe da Igreja, e é a ela que confiamos hoje o caminho do povo fiel de Deus, nesta “Ilha de esmeralda”. Pedimos que as famílias sejam amparadas em seu esforço de difundir o Reino de Cristo e de tomar cuidado com os últimos de nossos irmãos e irmãs. Entre os ventos e tempestades que assolam nossos tempos, que sejam as famílias baluartes de fé e de bondade que, segundo as melhores tradições da Nação, resistem a tudo que pretenda diminuir a dignidade do homem e da mulher criados à imagem de Deus e chamados ao sublime destino da vida eterna.

Que Nossa Senhora olhe com misericórdia todos os membros sofredores da família do seu Filho. Orando diante de sua estátua, apresentei-lhe, em particular, todos as vítimas sobreviventes de abusos cometidos por membros da Igreja, na Irlanda. Nenhum de nós pode deixar de se comover pelas histórias de menores que sofreram abusos, de quem foi roubada a inocência ou que foram distanciados de suas mães, e abandonados às cicatrizes de lembranças dolorosas. Esta ferida aberta nos desafia a sermos firmes e resolutos na busca da verdade e da justiça. Imploro o perdão do Senhor para estes pecados, pelo escândalo e traição sentidos na família de Deus. Peço à nossa Mãe bem-aventurada que interceda por todas as pessoas sobreviventes de abusos de todo tipo e que confirme cada membro da família cristã no firme propósito de nunca mais permitir que tal situação aconteça. E, ainda, que interceda por todos nós, para que possamos proceder sempre com justiça e reparar, enquanto dependa de nós, tanta violência.

Minha peregrinação a Knock também me permite de dirigir uma cordial saudação ao povo querido da Irlanda do Norte. Embora minha viagem para o Encontro Mundial das Famílias não inclua uma visita à Irlanda do Norte, asseguro-lhes o meu afeto e a minha proximidade na oração.  Peço a Nossa Senhora que socorra todos os membros da família irlandesa para que perseverem, como irmãos e irmãs, na obra de reconciliação. Com gratidão, pelos avanços ecumênicos e pelo significativo crescimento de amizade e colaboração entre as comunidades cristãs, oro para que todos os discípulos de Cristo levem avante, com perseverança, os esforços para fazer avançar o processo de paz e para construir uma sociedade harmoniosa e justa para os filhos de hoje, sejam eles cristãos, muçulmanos, judeus, ou de qualquer fé: filhos da Irlanda.

E agora, com estas intenções e com todas aquelas que trazemos no coração, dirijamo-nos à Bem-Aventurada Virgem Maria, com a oração do “Angelus”.

https://www.youtube.com/watch?v=5X4aeDRlFuM

(Do 00:05 minuto ao 08:20 minuto)

Trad.: AJFC

Digitação: EAFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *