Mensagem do Papa Francisco

“Ângelus,” dia 17.06.2018

Caros irmãs e irmãos, bom dia!

Na página do Evangelho de hoje, Jesus fala às multidões do Reino de Deus e  seu crescimento, e o faz,  narrando duas breves parábolas.  Na primeira parábola, o Reino de Deus é comparado ao misterioso crescimento da semente, que é lançada no terreno, que depois germina, cresce e produz a espiga, independentemente dos cuidados do agricultor,  ao término da maturação, cuida da colheita. A mensagem que esta parábola nos aponta é esta: por meio da pregação e da ação de Jesus, o Reino de Deus é anunciado, e rompeu no campo do mundo e, como a semente, cresce e se desenvolve por si mesmo, por força própria e conforme critérios não humanamente decifráveis. Ele, no seu crescimento e germinação dentro da história, não depende tanto da obra do homem, mas é sobretudo expressão da bondade de Deus, na força do Espirito Santo que leva adiante a vida cristã no povo de Deus. Por vezes, com suas experiências e seus protagonistas, parece marchar em sentido contrário ao designío do Pai celeste, que quer pata todos os Seus filhos a justiça, a fraternidade e a paz. Mas nós somos chamados a viver estes períodos como momentos de provação, de esperança e de expectativa vigilante do relato.  De fato, ontem como hoje, o Reino de Deus cresce no mundo de modo misterioso, de modo surpreendente, revelando o poder escondido da sementinha, a sua vitalidade vitoriosa. Diante da ânsia de experiências pessoais e sociais, que, por vezes, parece acenar para o naufrágio da esperança, é preciso que permaneçamos confiantes no agir submisso, mas poderoso de Deus. Por isto, nos momento de escuridão e de dificuldades, não devemos nos abater, mas permanecermos amparados na fidelidade de Deus, em Sua presença que sempre salva. Lembrem-se disto: Deus sempre salva! Ele é o Salvador!

 Na segunda parábola, Jesus compara o Reino de Deus a um grão de mostarda. É uma semente bem pequenina, e, no entanto, desenvolve-se tanto, ao ponto de tornar-se o maior dos arbustos. Trata-se de um crescimento surpreendente. Não é fácil para nós entrar nesta lógica da imprevisibilidade de Deus e conformar nossa vida segundo ela. Mas hoje o Senhor nos exorta a uma atitude de fé que supera os nossos projetos, os nossos cálculos e nossas previsões.  Deus é sempre o Deus das surpresas. O Senhor sempre nos surpreende. É um convite para nos abrirmos, com mais generosidade, aos planos de Deus, quer no plano pessoal, quer no plano comunitário. Nas nossas comunidades, é preciso que prestemos atenção às pequenas e grandes ocasiões que o Senhor nos oferece, deixando-nos envolver em Sua dinâmica de amor, de acolhimento, de misericórdia para com todos.

A autencidade da missão da Igreja não é dada pelo sucesso ou pela ação dos resultados, mas pelo ir adiante com a coragem da confiança de Jesus, com a força do Espírito Santo. E com a consciência de que somos pequenos e frágeis instrumentos, que nas mãos de Deus e com Sua graça, podemos  realizar grandes obras, fazendo prosperar o Seu Reino, que é justiça, paz e alegria no Espírito Santo.

Que a Virgem Maria nos ajude a sermos simples, a sermos atentos, para colaborarmos com a nossa fé e com o nosso trabalho para o desenvolvimento do Reino de Deus, nos corações e na história.

TRAD: AJFC

Digitação: Paulo Eduardo Ferreira Calado