Mensagem do Papa Francisco

“Regina Coeli”, dia 13.05.2018

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

Hoje, na Itália e em muitos outros países, é celebrada a solenidade da Ascensão do Senhor. Esta festa encerra dois elementos: de um lado, orienta o nosso olhar em direção ao Céu, onde Jesus glorificado está sentado à direita de Deus; por outro lado, lembra-nos o início da missão da Igreja. Por quê? Porque Jesus ressuscitado e que sobe ao Céu, manda que Seus discípulos difundam o Evangelho por todo o mundo. Portanto, a Ascensão nos exorta a levantarmos o olhar em direção ao Céu, para, logo em seguida, dirigi-lo para a Terra, assumindo as tarefas que nos confia. Eis o que nos convida a fazer a página do Evangelho de hoje, em que o evento da Ascensão vem logo após a missão que Jesus confia aos discípulos. Trata-se de uma missão “desconfinada”, isto é literalmente sem fronteiras, que supera as forças humanas. Com efeito, diz Jesus: “Vão por todo o mundo, e proclamem o Evangelho a todas as criaturas.” Parece realmente ousada demais a missão que Jesus confia a um pequeno grupo de gente simples e sem grandes capacidades intelectuais. E, no entanto, foi esta pequena empresa – irrelevante aos olhos das grandes potências – a convida a levar a Mensagem de Amor e de Misericórdia de Jesus a todos os recantos da Terra.

Mas este Projeto de Deus pode ser realizado apenas com a força que o próprio Deus concede aos Apóstolos. Neste sentido, Jesus lhes assegura que sua missão sustentada pelo Espírito Santo. Assim diz ele: “Vocês receberão a força do Espírito Santo, que descerá sobre vocês, e vocês serão minhas testemunhas, em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria até os confins da Terra”.  É desta forma que a missão pode realizar-se, e os Apóstolos deram inicio a esta obra, que depois foi continuada por seus sucessores. A missão confiada por Jesus aos apóstolos prosseguiu através de séculos, e prossegue ainda hoje. Esta requer a colaboração de todos nós. Cada um, com efeito, pela força do batismo que recebeu, está habilitado para anunciar o Evangelho. É justamente o Batismo, o que habilita e também leva a sermos missionários, a anunciarmos o Evangelho.

A ascensão do Senhor ao Céu, enquanto inaugura uma nova forma de prescença de Jesus no meio de nós, nos pede que tenhamos olhos e coração para encontra-Lo, para servi-Lo, e testemunha-Lo junto aos outros. Trata-se de sermos homens e mulheres da Ascensão, isto é buscadores de Cristo ao longo dos caminhos do nosso tempo, levando Sua Palavra de Salvação até aos confins da Terra. Neste itinerário nós encontramos o próprio Cristo nos irmãos, sobretudo nos mais pobres, naqueles que sofrem na própria carne a dura e mortificante experiência de velhos e novos tipos de pobreza. Como no inicio, o Cristo Ressuscitado enviou aos Seus Apóstolos com a força do Espírito Santo, assim também hoje envia a todos nós, com a mesma força, para sermos sinais concretos e visíveis de esperança, porque Jesus nos dá esperança, ele foi para o Céu e nos abriu as portas e a esperança de que nós aí chegaremos.

Que a Virgem Maria, enquanto Mãe do Senhor morto e ressuscitado, animou a fé da primeira comunidade dos discípulos, também nos ajude a manter firme o nosso coração, como nos exorta a fazer a Liturgia. Ao mesmo tempo, que ela nos ajude a viver, com os pés na terra, e a semear com coragem o Evangelho nas situações concretas da vida e da história.
https://www.youtube.com/watch?v=N9gMYD2ljqo

(Do minuto 2:58 ao minuto 8:42 )

Trad.: AJFC

 

Comentários

comentários