Mensagem do Papa Francisco

“Regina Coeli”, dia 29.04.2018

 

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

A Palavra de Deus, inclusive neste V Domingo de Páscoa, continua a nos mostrar o caminho e as condições para sermos comunidade do Senhor Ressuscitado. Domingo passado, foi dada ênfase sobre a relação entre o crente e Jesus Bom Pastor. Hoje, o Evangelho nos propõe o momento em que Jesus se apresenta como a verdadeira videira, e nos convida a permanecermos unidos a Ele, para  produzirmos muito fruto. A videira é uma planta que forma junto com os ramos um todo uno. E os ramos são fecundos, tão somente se permanecerem unidos à videira.

Esta relação é o segredo da vida cristã, e o Evangelista João a expressa com o verbo “permanecer”, que, na passagem de hoje, é repetida sete vezes. “Permaneçam em Mim”, diz o Senhor. Permanecer no Senhor!

Trata-se de permanecermos com o Senhor, para encontrarmos a coragem de sairmos de nós mesmos, dos nossos espaços restritos e protegidos, para nos lançarmos no mar aberto das necessidades dos outros, e darmos amplo alento ao testemunho cristão no mundo. Tal coragem… nasce da fé no Senhor Ressuscitado e da certeza de que Seu Espírito acompanha a história. Um dos frutos mais maduros que brotam da comunhão com Cristo é, com efeito, o compromisso de caridade para com o próximo, amando os irmãos com abnegação de si, até às últimas consequências,como Jesus nos amou. O dinamismo da caridade do crente não é fruto de estratégias, não nasce de solicitações externas de instâncias sociais ou ideológicas, mas do encontro com Jesus e da permanência em Jesus. Para nós, Ele é a Videira da qual nós absorvemos a seiva,isto é, a vida, para suscitar na sociedade um mundo diferente de viver e de nos desprendermos, de modo a colocarmos em primeiro lugar os últimos.

Quando estivermos unidos com o Senhor, assim como entre si se acham intimametne unidos os ramos e a videira, seremos capazes de produzir frutos de vida nova, de misericórdia, de justiça, e de paz, decorrentes da Ressurreição do Senhor. E como os santos têm feito! Aqueles que viveram em plenitude a vida cristã e o testemunho da caridade, porque foram verdadeiros ramos da videira do Senhor.Mas, para sermos santos, não é necessários que sejamos bispos, sacerdotes, religiosas ou religiosos. Todos, todos nós somos chamados a ser  santos, vivendo com amor e cada um oferecendo seu testemunho nas ocupações de cada dia, lá onde cada qual se encontra.

Toda atividade – o trabalho, o descanso, a vida familiar e social, o exercício das responsabilidades políticas, culturais, econômicas – toda atividade, vivenciada em união com Jesus, e com atitude de amor e de serviço, constitui uma oportunidade para se viver em plenitude o batismo e a santidade evangélica.

Que venha em nosso socorro Maria, Rainha dos Santos, e modelo de perfeita comunhão com seu Filho divino. Que ela nos ensine a permanecer em Jesus, como ramos na videira, e a jamais nos separarmos do Seu Amor. Sem Ele, com efeito, nada podemos, porque nossa vida é Cristo vivo, presente na Igreja e no mundo.
(Do minuto 0:15 ao minuto 6:02 )

Trad.: AJFC

Comentários

comentários