Mensagem do Papa Francisco

“Ângelus”, dia 18.02.2018

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

Neste primeiro Domingo de Quaresma, o Evangelho chama a atenção para os temas da tentação, da conversão e da Boa Nova. O evangelista escreve: “O Espírito conduziu Jesus ao deserto, e aí Ele permaneceu durante quarenta dias, tentado por Satanás.”  Jesus vai ao deserto, para preparar-Se para Sua missão no mundo. Ele não tem necessidade de conversão, mas, enquanto homem, deve passar pela provação, tanto para Si mesmo, em obediência à vontade doPai, quanto por nós
nós, para nos dar a graça de vencer as tentações.

Esta preparação consiste em combater o espírito do mal, isto é, o Diabo. Também para nós, a Quaresma é um tempo de “agonismo” espiritual, de luta espiritual: somos chamados a confrontar-nos com o Maligno, por meio da Oração, a fim de sermos capazes, com a ajuda de Deus, de derrotá-lo, em nossa vida de cada dia. Nós sabemos: o mal age muito em nossa história, e em volta de nós, lá onde se manifestam violências, a recusa do outro, os fechamentos, as guerras, as injustiças – todas, obras do Maligno, do mal.
 
De repente, após as tentações, Jesus começa a pregar o Evangelho, a Boa Nova, a segunda palavra que exige do ser humano conversão e fé. Ele anuncia: “Completou-se o tempo, e o Reino de Deus está próximo”. E depois, expressa a exortação: “Convertam-se e creiam no Evangelho.” Isto é: creiam nesta Boa Nova de que o Reino de Deus está próximo   .
Em nossa vida, sempre temos necessidade de conversão, todos os dias. E a Igreja nos manda orar, para isto. Com efeito, nunca estamos suficientemente orientados para Deus, e para Ele devemos dirigir nossa mente e nosso coração. E para tanto, é preciso que tenhamos a coragem de afastar tudo o que nos põe fora do caminho: os falsos valores que nos iludem, atiçando de modo sutil nosso egoísmo. Ao contrário, devemos entregar-nos ao Senhor, a sua bondade e ao seu projeto de amor para cada um de nós. A Quaresma é um tempo de penitência, sim, mas não é um tempo triste! Não é um tempo de luto. É um esforço alegre e sério para nos despojarmos do nosso egoísmo, do nosso homem velho, e renovarmos conforme a graça do nosso Batismo.

Só Deus pode nos dar a verdadeira felicidade: é inútil perder o nosso tempo buscando-a em outro lugar, nas riquezas, nos prazeres, no poder, no carreirismo… O Reino de Deus é a realização de todas as nossas aspirações porque é, ao mesmo tempo, salvação do homem e gloria de Deus.

Neste primeiro Domingo da Quaresma, somos convidados a escutar com atenção, e recolher este apelo de Jesus a nos converter e a crer no Evangelho. Somos exortados a iniciar empenhadamente o caminho em direção à Páscoa, para acolhermos cada vez mais a graça de Deus, que quer transformar o mundo num Reino de justiça, de paz e fraternidade.

Que Maria Santíssima nos ajude a viver esta Quaresma com fidelidade à Palavra de Deus e com uma oração incessante, como fez Jesus no deserto. Não é impossível! Trata-se de viver o dia-a-dia com desejo ardente de acolher o amor que vem de Deus e que quer transformar a nossa vida e o mundo todo.


Trad.: AJFC

Digitação: Gabriel Luar Calado bandeira