Mato Grosso do Sul: Acampamento internacional de observadores dos Guarani-Kaiowás

A Aty Guassu (conselho dos povos Guarani-Kaiowás) e o Comitê Internacional de Solidariedade aos Guarani-Kaiowás convoca a todas e todos aqueles que se solidarizam com a luta pelo direito às suas terras originárias, e à garantia da reprodução de seu modo de vida, a participarem do acampamento internacional de observadores a ser realizado em suas tekohas (comumente conhecidas como “aldeias”) no Mato Grosso do Sul, do dia 15/11/2011 ao dia 05/01/2013. Neste momento esses indígenas estão realizando retomadas de suas terras ancestrais e manifestando-se contra a negligência do Estado brasileiro em realizar as demarcações e homologações das suas terras, de forma a favorecer os interesses dos fazendeiros locais em detrimento dos direitos e demandas indígenas reconhecidos pela legislação brasileira e ratificados por tratados internacionais.

Essa luta não é nova, e vem se processando há muitos anos a partir do momento em que os Guarani-Kaiowás decidiram dar um basta ao etnogenocídio a que estão sendo submetidos bárbara e impunemente, por meio de assassinatos, incêndios em aldeias, desaparecimento de corpos, estupro de mulheres, envenenamento das águas e da terra, abandono do Estado quanto às condições de saúde, educação, alimentação, execuções de lideranças etc.

A convocatória, que parte da aliança estabelecida junto à Aty Guasu, vem no sentido de procurar potencializar todo o apoio que vem se manifestando por diversos setores da sociedade, de forma a que essa disposição se transforme em contribuição efetiva para a luta indígena. A presença de observadores do Brasil e do mundo nas aldeias Guarani-Kaiowás poderá dar maior visibilidade à situação deste povo indígena, inibir os atos de violência cometidos contra eles, potencializar as denúncias e divulgar a resistência indígena.

Toda a organização do acampamento ocorrerá por meio do Comitê Internacional de Solidariedade ao povo Guarani-Kaiowa, espaço coletivo por meio do qual a Aty Guasu terá sua interlocução com todas e todos os indivíduos, coletivos, organizações, entidades e movimentos, apoiadores da luta indígena.

É preciso que fique claro que o objetivo deste acampamento é o de prestar apoio político à luta dos Guarani-Kaiowas, portanto, exige comprometimento e responsabilidade por parte de seus participantes. A região é marcada pelo intenso conflito, insegurança e violência, praticada pelos fazendeiros/latifundiários por meio de seus jagunços, e pelo próprio Estado brasileiro, seja pela inércia na garantia do direito às suas terras originárias, seja por meio do judiciário com suas decisões anti-indigenistas, logo, esta é uma caracterização e condição que deve ser compreendida e assumida pelos participantes.

Ademais, todos os materiais necessários para garantir a permanência dos participantes no acampamento, tais como barraca, alimentação, água, equipamento de registro, etc. devem ser garantidos por cada um, e serão de sua responsabilidade exclusiva. Da mesma forma, os custos relativos à viagem e à permanência no local deverão ser arcados individualmente. Não serão aceitas inscrições de menores de idade, por questões de segurança.

Outra questão se refere ao material que for produzido (textos, entrevistas, fotos, vídeos, etc.): este deverá ser público e coletivo, podendo o autor deixar expressa sua autoria, devendo, contudo, informar que tal material é oriundo do acampamento realizado pelo Comitê Internacional de Solidariedade ao povo Guarani-Kaiowá, que é composto por diversas entidades e movimentos. A forma de divulgação daquilo que for produzido será determinada coletivamente por meio do Comitê.

Para a participação no acampamento será exigida a inscrição de todas e todos, por meio da qual deverão ser apresentados todos os dados do participante. Após a inscrição será enviado um material de apoio para leitura e estudo prévio, com o objetivo de que o participante se aproprie da questão Guarani-Kaiowá em Mato Grosso do Sul. Antes da saída para o acampamento, será realizada uma formação em aldeia que será informada previamente, com duração de dois dias, em que serão abordadas questões relativas ao modo de vida dos Guarani-Kaiowás; sua relação com a terra e as lutas desenvolvidas, bem como todas as dificuldades vivenciadas para tanto; os conflitos fundiários na região; normas estabelecidas pelos indígenas para a segurança dos participantes e dos próprios indígenas; normas de convivência para a garantia do respeito mútuo; apresentação das aldeias onde se fixará o acampamento; etc., para que todos possam se localizar no contexto sob o qual se realiza este acampamento internacional de observadores.

A expedição contará com três saídas:
– a primeira será dia 15/12/2012
– a segunda será dia 22/12/2012
– a terceira será dia 29/12/2012
E será encerrada no dia 05/01/2013.

Os participantes poderão optar por permanecer mais de uma semana, contudo a chegada de novos participantes se dará apenas nas datas acima indicadas.

Após a chegada em Dourados, os participantes deverão ir até a cidade de Caarapó (o ônibus sai da rodoviária de Dourados), e de lá é possível pegar um taxi até a aldeia que será indicada previamente (a corrida até a referida aldeia custa aproximadamente R$ 50,00).

A chegada à aldeia deverá se dar em horário comum a ser estabelecido em reunião prévia.

No local será realizada uma formação, de dois dias, junto aos participantes. O primeiro dia terá como conteúdo a cultura, tradições e modo de vida Guarani-Kaiowá, bem como o estabelecimento das normas de convivência entre os participantes, entre estes e os indígenas, e com o espaço.

O segundo dia terá como conteúdo o conflito fundiário.

No terceiro dia, os participantes serão levados às aldeias onde estabelecerão acampamento.

Os locais onde se fixará o acampamento não serão divulgados por questão de segurança.

Para realizar sua inscrição preencha a ficha de inscrição anexa e envie para: [email protected]

Os inscritos receberão confirmação e demais instruções por e-mail.

Mais informações serão passadas a partir da realização da inscrição.

Para mais informações sobre os Guarani-Kaiowás acesse:

http://solidariedadeguaranikaiowa.wordpress.com.

Fonte: CSP-Conlutas