Marlene quer justiça

Há dez anos o filho de Marlene Xavier, uma das “Mães pela Igualdade”, foi assassinado por ser gay. O assassino inclusive confessou à polícia em seu depoimento: “Não suporto homossexuais”.

O assassino vem de uma rica e poderosa família e, por isso, segue livre. Mesmo assim, Marlene busca por justiça.

A história de Marlene é comum no Brasil. E o país caminha a passos largos para se tornar o lugar mais perigoso para gays, lésbicas, bissexuais e trans. A violência segue aumentando e a ausência de legislação que criminalize a homofobia piora a situação.

Ajude a Marlene em sua luta por um Brasil mais tolerante e igualitário: http://www.allout.org/pt/chegamosaolimite

Assista ao vídeo:

* * *
MAIOR CORTE ORÇAMENTÁRIO DA HISTÓRIA. Da Auditoria Cidadã:

“Os jornais noticiam o maior corte da história – R$ 55 bilhões – no orçamento federal de 2012, que prejudica as áreas sociais para garantir o pagamento da dívida pública.

Conforme mostra o Portal G1, “Objetivo do corte é atingir meta de R$ 140 bilhões de superávit primário”, ou seja, a reserva de recursos para o pagamento da dívida. Como se já não fossem pífios os valores previstos para as áreas sociais na proposta aprovada pelo Congresso Nacional ao final do ano passado, agora o governo ainda corta mais recursos destas áreas.”

Confira nas notícias diárias comentadas, edição de 15 de fevereiro, clicando aqui.

* * *
ATENTADO À LIBERDADE DE EXPRESSÃO. Lúcio Flavio Pinto, o maior jornalista especialista em Amazônia, está com a vida ameaçada.

Tentam sufocá-lo e calá-lo com 33 processos. Um deles está para ser concluído e tudo indica que poderá ser desfavorável.

Qual o “crime” do Lúcio Flávio Pinto?

O Lúcio publicou denúncias comprovadas de que estava ocorrendo uma enorme grilagem de terras na região. Com isso impediu que o empreiteiro CR Almeida fizesse na Amazônia a maior grilagem da história do Brasil. Em represália, foi processado por CR Almeida sob a alegação de ter sido chamado de pirata numa das matérias do Lúcio Flávio, o que julgou ofensivo.”

Ajude jornalista homenageado pela Abraji que é alvo de ação judicial em massa.

Começou essa semana na internet um movimento em solidariedade ao jornalista paraense Lúcio Flávio Pinto, condenado por “ofender moralmente” o falecido empresário Cecílio do Rego Almeida, dono da Construtora C. R. Almeida e acusado de apropriação ilegal de terras públicas na Amazônia.

O jornalista, que é editor do independente Jornal Pessoal, se referiu ao empresário como “pirata fundiário” em sua publicação. A alcunha foi usada em reportagem sobre o uso de registros imobiliários falsos na tentativa de regularizar a posse de cinco milhões de hectares na região do vale do rio Xingu. Outras duas pessoas também haviam sido denunciadas por Cecílio do Rego Almeida, mas foram absolvidas pela justiça paulista.

A sentença que condena Lúcio Flávio Pinto a pagar indenização de R$ 8 mil à família do grileiro foi expedida pelo Tribunal de Justiça do Pará. Um recurso especial foi submetido ao Superior Tribunal de Justiça, mas acabou negado em fevereiro de 2012 por ausência de documentos exigidos pelo rito do órgão.

Leia mais e veja como ajudar aqui: http://www.abraji.org.br/?id=90&id_noticia=1932

* * *
RETROCESSO. A Comissão de Direitos Humanos da OAB de São José dos Campos foi extinta pelo presidente da entidade, Júlio Rocha.

Segundo o advogado Aristeu César Pinto Neto, que presidia essa comissão, não houve justificativa para extingui-la. Ele considera o ato um atentado contra a democracia.

Aqui, entrevista à jornalista Marilu Cabañas.

* * *
CBF. Acho curioso que quando um líder político passa mais de 20 anos no poder, a imprensa o chame de ‘ditador’, e quando um dirigente do futebol passa 23 anos, é ‘presidente’.

Por que?

* * *
CIÊNCIA EM LUTO. Um dia muito triste para a ciência brasileira. Meus pêsames a todos que viam nele um exemplo de vida. Quem viver metade do que Lobato viveu, com toda a intensidade, terá passado verdadeiramente por esta vida.

Wladimir Lobato Paraense nasceu em 16 de novembro de 1914 em Igarapé-Mirim (PA). Médico formado pela Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará e pela Faculdade de Medicina de Pernambuco, ele se especializou em anatomia patológica na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Foto: IOC/Fiocruz

O médico entrou para o Instituto Oswaldo Cruz em 1939 e em 1965 se tornou pesquisador titular da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Suas pesquisas principais foram no campo da malacologia, ramo da biologia que estuda os moluscos. Ele foi responsável por identificar dez novas espécies de moluscos de água doce, entre os quais transmissores da esquistossomose.”

* * *
CONSEQUÊNCIAS TERRÍVEIS. O que vai acontecer se o casamento gay for liberado?