‘Marchas da Família’ devem servir para lembrar horrores da ditadura

As marchas pró-ditadura são minúsculas, não são novidade — o que um neoliberal adora é ignorar a História –, mas devem nos relembrar os crimes genocidas do passado. Lembrar-nos sobre o terrorismo de Estado, sob patrocínio da CIA.

Essa é uma das funções mais bonitas da História: nos precaver de repetir a estupidez. Viva a memória! Parabéns conservadores, nos lembrando dos horrores cometidos pelos genocidas militares com apoio de parte da imprensa e de parte da sociedade civil.