Marcas do trabalho

Na consulta médica:
– Seu José. Em que posso ser útil?
– Dr, eu vim me consultar pelas dores que eu tenho. Há muitos anos que eu padeço de dores de coluna, nos ombros e nos joelhos. Não aguento mais. Nao consigo dormir, vivo irritado e, minha esposa está prestes a se separar de mim.. Vim me consultar para  conseguir um remédio para acabar com essas dores. Já não quero mais sentir o que sinto.
– Seu José.  Quantos anos o senhor tem? O que faz?
A minha frente, um negro de 65 anos com um semblante de trabalhador braçal e, de fato isso se confirmou. A vida dedicada ao serviço da carvoaria de sua região. O melhor artífice que a empresa poderia ter. Ninguém sabia  melhor de forno, produção de carvão como seu José. Dúvidas na produção, chama seu José para resolver o problema. Na sua aposentadoria deste ano, lágrima nos olhos de seus companheiro que foram agregando-se ao seu vínculo de amizade ao longo dos últimos 50 anos de trabalho. Alegria para os netos que poderiam aproveitar o avô humorista dos domingos de almoço e tristeza para Joaquim, terceira geração dos donos da empresa que sempre tiveram seu José como ”fiel escudeiro” mas, já não dava para manter o experiente profissional ativo. A dores crônicas já eram sua companheira.
— Muito bem seu José existem alguns pontos a serem tratados. O José que está a minha frente, não é o mesmo de quando tinha 10 anos de idade correto?
— Certo que não Dr. Eu tinha muita energia. Até hoje. Não existia sábado, domingo ou feriado. . Fizesse chuva ou sol, o trabalho era meu alimento. Criei meus oito filhos com o carvão. A medida que o tempo foi passando, eu fui diminuindo minhas forças e o cansaço bateu mas, o ponto positivo é que agora, posso aproveitar meus netos, coisa que não pude fazer com meus filhos. Não me arrependo de nada. A única coisa que me destrói são estas dores.
— Seu José, essas, dores são escritos, marcas no seu corpo, componente desta belíssima história que o senhor me apresentou. Elas refletem grandes fases de sua vida que foram escritas a esforço e suor. Não podemos mudar sua história. Não podemos mudar sua idade e o que foi composto ao longo de sua vida. As “peças” e as  “engrenagens” do seu corpo foram enferrujando as custas do tempo que não  perdoa. O que o senhor é hoje e tem,não pode ser mudado mas sim, transformado. Vamos propor uma estratégia de fortalecimento de seus músculos e ossos, com atividades aeróbicas, dieta focada nestes problemas e atividades para  a higiene mental. Tenho certeza que o senhor se sentir melhor. Não vamos eliminar os problemas mas amenizar o sofrimento que eles trazem. (uma lágrima escorre pelo rosto de seu José).
— Dr eu me sinto um inválido sem poder sair com meus netos que tanto amo.
— Fique tranquilo. O senhor voltará a sentir-se útil.
2 meses depois em uma nova consulta:
— E aí seu José. Como está?
— Dr eu me sinto ótimo. Estive fazendo algumas sessões de fisioterapia como o senhor me orientou. Entrei na hidroginástica perto de casa, estou indo as tardes ao lar da terceira idade onde lá converso, interajo com meus amigos e posso inclusive jogar o dominó que sempre gostei. Depois da morte de minha esposa, fiquei muito triste mas lá, conheci uma companheira onde estamos trocando mensagens por telefone e estou vendo a possibilidade de pedi-la em namoro.  O melhor de tudo. Meu ex patrão me convidou para coordenar  a empresa  nas manhãs. Isso é ótimo pois, além de voltar às minhas atividades, posso arrumar uma renda extra. Obrigado Dr.

Conclusão. Não podemos mudar o que não pode ser mudado mas, podemos transformar tirando o melhor  proveito daquilo que a vida nos propõe. Depende da criatividade e da incansável vontade servir.

A você. Que todos os dias escreve sua história a custa de suor e luta. Feliz dia do trabalhador.

 

Brasileiro, Casado. Médico formado pela Escola Latinoamericana de Medicina (ELAM), Havana, Cuba. Atua como médico residente de Medicina de Familia e Comunidade na Secretaria de Saúde de Sinop (MT). É professor de medicina na Universidade Federal de Mato Grosso, locutor de Saúde com quadro semanal, palestrante e músico.

Seções: Memória & Consciência.