Luta contra usinas no Tapajós ganha site

Luta contra usinas no Tapajós ganha siteO movimento de resistência ao projeto do governo federal de construir cinco grandes hidrelétricas nos rios Tapajós e Jamanxim, no oeste do Pará, região central da Amazônia brasileira, ganha uma nova ferramenta de informação.

Está no ar o site www.tapajoslivre.org, que traz uma série de documentos sobre os impactos das obras planejadas, além de mapas e imagens sobre o projeto e a região.

A primeira e maior usina do complexo hidrelétrico Tapajós, São Luiz do Tapajós, tem previsão de licitação para o ano que vem. O reservatório previsto é de 722 Km², com uma área de sobreposição ao Parque Nacional da Amazônia e Florestas Nacionais Itaituba I e II de 303,81 Km², ou seja, quase metade do reservatório.

As demais usinas do Complexo também atingirão, em grande medida, Unidades de Conservação na região:

AHE Jatoba: atingirá a APA Tapajós e a FLONA Itaituba I de 150,66 Km²

AHE Cachoeira do Caí: A área de sobreposição do reservatório com as Florestas Nacionais Itaituba I e II e Parque Nacional do Jamanxim será de 429,57 Km²

AHE Jamanxim: terá um reservatório de 74 Km²,  sendo que 41 Km², mais da metade, seriam alagados no Parque Nacional do Jamanxim

AHE Cachoeira dos Patos: Este eixo estaria localizado próximo à BR-163, 6 Km em linha reta, ou seja, existe a possibilidade de atingir esta rodovia federal em diversos trechos com o reservatório e/ou com o aumento do nível dos igarapés. Além disso, seriam atingidos o Parque Nacional do Jamanxim, a APA Tapajós e a Floresta Nacional do Jamanxim, com uma área de sobreposição com o reservatório de 93,93 Km²

Comentários

comentários